quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Mobilização é divulgada em revista da Diocese de Bauru

A revista Conversa, órgão de comunicação oficial da Diocese de Bauru, divulgou a Mobilização Social pela Educação em sua edição de lançamento publicada neste final de 2010.

O tema tem chamada de capa na revista que foi criada com o objetivo de estimular o diálogo entre os membros da comunidade que participam ou estão envolvidos nas atividades da Diocese de Bauru.

Por meio do incentivo ao diálogo com e entre os representantes dos diversos setores organizados que estão presentes nos 14 municípios que compõem a Diocese, os idealizadores da revista buscam, entre outros objetivos, ampliar a participação das famílias na vida escolar dos filhos. Assim, procuram colaborar com a melhoria do aproveitamento do ensino oferecido nas escolas públicas da região.

Abordagem

A publicação da revista Conversa destaca a atuação dos 6 mil mobilizadores sociais pela educação que desenvolvem atividades alusivas ao tema em diversas regiões do País. Ressalta, ainda, a importante colaboração dos segmentos religiosos na ampliação do Plano de Mobilização Social pela Educação que é coordenado pelo Ministério da Educação (MEC).

A matéria também trata da atuação dos membros do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Bauru, criado em 2008.

Clique na ilustração ao lado para conferir a publicação.

Projeto de Lei propõe criação do Dia Nacional de Mobilização Social pela Educação

O Deputado Federal Guilherme Campos (DEM/SP) apresentou na Câmara dos Deputados, em 21 de dezembro de 2010, o Projeto de Lei n.º 8041/2010 que propõe a criação do Dia Nacional da Mobilização Social pela Educação. Por meio dessa iniciativa, o parlamentar propõe que a data seja comemorada, anualmente, no dia 11 de agosto, em alusão ao Dia do Estudante.

A proposta de Lei é inspirada em legislações semelhantes que instituíram o Dia Municipal de Mobilização Social pela Educação nos municípios de São João do Cariri (PB), em 15 de abril; Santa Inês (MA), em 10 de julho; Unaí (MG), no último dia de aula do primeiro semestre; Cana Verde (MG), no primeiro dia de aula do segundo semestre; e Belo Horizonte (MG) e Capivari de Baixo (SC), que comemoram a data em 19 de setembro, como homenagem ao nascimento do educador Paulo Freire.

Outras localidades estabeleceram em lei a Semana Municipal de Mobilização Social pela Educação. Uruaçu, Pirenópolis e Jaraguá (GO) comemoram o período na última semana do mês de abril. Pindamonhangaba (SP) promove atividades alusivas ao tema na semana em que incidir o dia 19 de setembro. Lages (SC) criou o Dia da Família na Escola que é comemorado, desde 2007, no dia 25 de maio.

“Atualmente, há relativo consenso de que necessitamos de maior mobilização social em prol da melhoria da qualidade da educação e pela garantia do direito a aprender de todos os brasileiros”, expõe o Guilherme Campos na justificativa de apresentação do Projeto de Lei.

Mobilização

Os mobilizadores sociais pela educação devem fazer gestão junto aos parlamentares que representam seus estados com o objetivo de que apóiem a aprovação do Projeto de Lei que deverá instituir o Dia Nacional da Mobilização Social pela Educação.

Acesse aqui a íntegra do PL n.º 8041/2010.

Acompanhe no site da Câmara dos Deputados a tramitação do PL n.º 8041.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Comitê de Mobilização de Pindamonhangaba vai ampliar parcerias em 2011

Com o intuito de fortalecer a parceria com instituições religiosas, os membros do Comitê de Mobilização Social pela Educação do município paulista de Pindamonhangaba organizam, para fevereiro de 2011, reunião com pastores e lideranças de todas as igrejas evangélicas do bairro das Campinas. Para o encontro, quando devem ser definidas as estratégias de ação do Comitê para o próximo ano, também serão convidados representantes da Igreja Católica.

Entre as ações desenvolvidas pelos mobilizadores junto às comunidades carentes do bairro das Campinas, a mobilizadora Doris Bertolino esteve reunida em duas ocasiões, nos dias 3 de dezembro e 29 de outubro, com adolescentes e jovens de 12 a 19 anos que frequentam cursos profissionalizantes oferecidos pela Casa do Jovem. Em conversa com os estudantes da instituição, mantida pela prefeitura de Pindamonhangaba, a mobilizadora fez um levantamento das principais dificuldades enfrentadas pelos alunos em suas escolas e debateu soluções para os problemas apontados.

Segundo Doris Bertolino, como resultado dos encontros na Casa do Jovem, os alunos foram incentivados a elaborar um panfleto sobre educação. “Nossa proposta a eles naquele momento era a de buscarmos, juntos, soluções. Uma delas foi que eles mesmos confeccionassem um panfleto com ‘a cara deles’, para ser distribuído na comunidade, com o intuito de alertar, orientar e conscientizar a população de que a escola é um bem de todos e que todos devem ser guardiões da mesma”, relata a mobilizadora. Para a impressão do panfleto, os mobilizadores buscam o apoio da Diretoria Regional de Ensino (DRE).

Ainda no bairro das Campinas, a convite das coordenadoras da Diretoria Regional de Ensino Rute Lidiani Pires e Regina Célia Bertolino Muniz, Doris Bertolino apresentou a Mobilização Social pela Educação durante reunião na Escola Estadual Pedro Silva, no dia 22 de outubro. O encontro também contou com a presença da supervisora da DRE, Maria de Fátima Ramos César; da presidente do Conselho de Merenda Escolar e secretária da Igreja Assembléia de Deus Ministério Belém, Fernanda dos Santos Ferreira Braga; da diretora da unidade de ensino, Izaura Madureira Gama; da professora, Cleonice Aparecida Nunes; da coordenadora pedagógica, Arani Ivanowsky de Jesus Cruz e da coordenadora pedagógica do Ensino Médio, Doralice Aparecida Romão Roza Slemer, entre outros.

Além das instituições religiosas, o Comitê de Pindamonhangaba pretende levar à comunidade do bairro das Campinas cursos profissionalizantes oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), uma vez que o bairro é localizado próximo à zona rural. Para tanto, os mobilizadores têm feito contato com a responsável pelo SENAR no Sindicato Rural da Cooperativa de Laticínios do Médio Vale do Paraíba. O grupo busca, ainda, o apoio de pastores, padres, escolas e da comunidade em geral para a divulgação dos cursos.


domingo, 26 de dezembro de 2010

Instituto Walmart aposta na Mobilização para a melhoria da qualidade da Educação

Durante o Encontro de Lideranças da Mobilização Social pela Educação, em São Bernardo do Campo (SP), a representante do Instituto Walmart, Adriana Franco, apresentou as metas e estratégias implementadas pelo Instituto com o intuito de contribuir para a melhoria da qualidade da Educação oferecida nas escolas públicas. Nesse sentido, entre as formas de atuação adotadas pelo Walmart, recebem destaque as campanhas de Mobilização e o investimento em formação e capacitação de profissionais da educação.

A exposição do Instituto Walmart compôs a mesa de debates “Estratégias e ações das empresas para mobilizar seus públicos”, realizada no período vespertino do dia 12 de dezembro. Em sua apresentação, Adriana ressaltou, ainda, as ações de Mobilização desenvolvidas junto à comunidade do bairro Bomba do Hemetério, em Recife (PE).

Leia mais sobre as ações do Instituto Walmart na Bomba do Hemetério: Recife recebe Oficina de Formação de Mobilizadores


Confira aqui o conteúdo da exposição do Instituto Walmart no Encontro Nacional de Lideranças.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Novo relatório da Mobilização apresenta balanço das ações de 2008 a 2010

Desde seu lançamento, em maio de 2008, o Plano de Mobilização Social pela Educação vem conquistando o apoio de diversos voluntários, empresas, organizações não governamentais, secretarias de educação, instituições religiosas, entre outros, que possibilitaram sua implementação em mais de mil municípios brasileiros. O Relatório de Atividades da Mobilização Social pela Educação – 2008 a 2010, lançado pelo Ministério da Educação (MEC), tem o intuito de registrar e divulgar as iniciativas de conscientização das famílias sobre a importância do acompanhamento da vida escolar dos filhos realizadas nesses três anos em todo o País.

No documento, podem ser encontradas informações sobre a ação dos mobilizadores de diferentes segmentos sociais e as estratégias de atuação adotadas para propiciar maior interação entre família e escola. O relatório destaca, também, os materiais disponibilizados pelo MEC para subsidiar essas ações, como a cartilha Famílias, acompanhem a vida escolar dos seus filhos, o Plano de Mobilização, com propostas de ação, e o Manual, que contém sugestões para os mobilizadores.

São relacionados na publicação, ainda, a quantidade, o tipo de evento e o município onde atividades como Oficinas de Formação de Mobilizadores, Instalações de Comitês, Apresentações e Lançamentos do Plano de Mobilização foram realizadas.

Acesse aqui o Relatório de Atividades de 2008 a 2010 do Plano de Mobilização Social pela Educação.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Instituto Razão Social e Consórcio CCPR apresentam estratégias de Mobilização

Divulgar a Mobilização Social pela Educação aos funcionários por meio de veículos internos de comunicação: essa é uma das estratégias do Consórcio CCPR, em parceria com o Instituto Razão Social, apresentadas durante o Encontro Nacional de Lideranças da Mobilização em São Bernardo do Campo, nos dias 12 e 13 de dezembro. Conduzida pela representante do Instituto Razão Social, Walkyria Dias, a exposição fez parte da segunda mesa de debates, “Estratégias e ações das empresas para mobilizar seus públicos”, realizada no domingo (12), no período da tarde.

Além da divulgação, Walkyria destacou a formação do Comitê de Mobilização como importante etapa na organização das ações desenvolvidas pelo Consórcio CCPR, formado pelas empresas Camargo e Corrêa e Promon Engenharia. Entre as atividades promovidas pelos mobilizadores do CCPR, no município paranaense de Araucária, estão o levantamento de dados dos profissionais que atuam no Consórcio, a fim de mapear as necessidades de cada família e adequar as orientações, bem como a realização de reuniões periódicas e promoção de Oficinas de Formação de Mobilizadores.

Acesse aqui o conteúdo completo da exposição do Instituto Razão Social/Consórcio CCPR no Encontro de Lideranças.

Leia mais sobre as ações de Mobilização do CCPR em:

Informativo do Consórcio CCPR divulga a Mobilização Social pela Educação

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Resultados das ações promovidas pela ArcelorMittal são divulgados no Encontro de Lideranças

A representante da Fundação ArcelorMittal, Zulmira Rodrigues Braga, apresentou, durante a mesa de debates “Estratégias e ações das empresas para mobilizar seus públicos”, metas e resultados das ações de Mobilização desenvolvidas junto às comunidades alcançadas pela Fundação. A exposição foi realizada no dia 12 de dezembro, primeiro dia do Encontro Nacional de Lideranças da Mobilização Social pela Educação, no período da tarde.

Em sua apresentação, Zulmira Braga enfatizou as ações da Fundação ArcelorMittal em escolas públicas dos municípios em que a empresa atua. Foram apontados como resultados dessas atividades um aumento no número de famílias interessadas nas atividades escolares dos filhos, que participam das atividades propostas pelas escolas e dos projetos de educação para adultos.

Confira abaixo a lógica do Projeto MobilizAção, desenvolvido pela Fundação ArcelorMittal:



Acesse aqui o conteúdo completo da apresentação da ArcelorMittal no Encontro de Lideranças em São Bernardo do Campo.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Encontro de Lideranças: estratégias empresariais de Mobilização são discutidas na segunda mesa de debates

Com o objetivo de discutir a implementação do Plano de Mobilização Social pela Educação junto a funcionários e demais públicos alcançados por empresas, a segunda mesa de debates do Encontro Nacional de Lideranças, em São Bernardo do Campo, reuniu representantes de instituições parceiras da Mobilização que atuam em diversas regiões do País. A mesa “Estratégias e ações das empresas para mobilizar seus públicos” deu início às atividades do período da tarde do dia 12 de dezembro.

Estiveram representadas na discussão a Fundação ArcelorMittal, o Instituto Razão Social, em conjunto com o Consórcio das empresas Camargo Corrêa e Promon Engenharia (CCPR), além dos Institutos Walmart e Votorantim.

Nas próximas postagens, o Blog da Mobilização vai divulgar informações sobre as exposições das empresas no Encontro de Lideranças.

Baixada Fluminense expõe metas para 2011 no Encontro de Lideranças

As atividades de Mobilização desenvolvidas em 13 municípios da Baixada Fluminense foram apresentadas durante a mesa de debates “A ação dos voluntários em suas comunidades: exemplos de boas práticas de Mobilização”, no Encontro Nacional de Lideranças da Mobilização Social pela Educação, realizado em São Bernardo do Campo (SP), nos dias 12 e 13 de dezembro. A exposição deu destaque à parceria com as igrejas e divulgou as metas pretendidas pelos mobilizadores fluminenses para o próximo ano.

Com a criação do Comitê de Mobilização da Baixada Fluminense, os mobilizadores visam criar novas frentes de atuação e alcançar mais comunidades religiosas e secretarias municipais de educação. Outro objetivo dos voluntários é ampliar o número de gestores de escolas públicas, especialistas em educação, representantes de conselhos escolares e tutelares envolvidos nas ações de Mobilização.

Entre as ações promovidas, David Arcenio, membro da Representação do Ministério da Educação no Rio de Janeiro (REMEC/RJ), enfatizou as visitas às famílias, nas quais os mobilizadores puderam observar de perto a realidade de cada uma e orientar os pais a acompanharem a vida escolar dos filhos levando em consideração suas especificidades. Além disso, David ressaltou as diversas reuniões realizadas em igrejas e escolas, que propiciaram a discussão sobre o conteúdo da cartilha Famílias, acompanhem a vida escolar dos seus filhos.

Acesse aqui o conteúdo completo da apresentação dos mobilizadores da Baixada Fluminense no Encontro de Lideranças.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Mobilizadores de Pindamonhangaba apresentam balanço de ações

Durante o Encontro Nacional de Lideranças da Mobilização Social pela Educação realizado em São Bernardo do Campo, São Paulo, membros do Comitê de Mobilização de Pindamonhangaba apresentaram um panorama das atividades desenvolvidas pelos mobilizadores no município e na região do Vale do Paraíba. A exposição foi conduzida pela mobilizadora Doris Bertolino e compôs a mesa de debates “A ação dos voluntários em suas comunidades: exemplos de boas práticas de Mobilização”, no dia 12 de dezembro.

Por meio de extenso registro fotográfico, a mobilizadora relatou aos participantes do Encontro como a Mobilização vem sendo desenvolvida pelos mobilizadores pindamonhangabenses desde a primeira reunião do Plano de Mobilização Social pela Educação (PMSE) realizada em Brasília, em 2007, até os dias atuais. Entre as parcerias conquistadas pelo Comitê, Doris Bertolino destacou o apoio de instituições religiosas, como a Igreja do Evangelho Quadrangular e a Pastoral da Educação, além da Câmara Municipal e da Faculdade de Pindamonhangaba (FAPI).

Acesse aqui fotos das atividades promovidas pelos mobilizadores de Pindamonhangaba apresentadas durante o Encontro de Lideranças.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Lauro de Freitas (BA) divulga parceria com agentes de saúde no Encontro de Lideranças

Cerca de 200 agentes comunitários de saúde e 150 agentes de endemia vêm atuando, em Lauro de Freitas (BA), como multiplicadores da Mobilização Social pela Educação. Esse foi um dos resultados das ações de Mobilização do município baiano que foram apresentados pela mobilizadora Fátima Carvalhal durante a mesa de debates “A ação dos voluntários em suas comunidades”, no Encontro Nacional de Lideranças da Mobilização, evento realizado em São Bernardo do Campo nos dias 12 e 13 de dezembro.

A integrante do Comitê de Lauro de Freitas e coordenadora do Núcleo de Articulação e Mobilização Comunitária (NAMC) da Secretaria Municipal de Saúde, Fátima Carvalhal, destacou, em sua apresentação, a parceria entre educação e saúde para divulgar a mensagem da cartilha Famílias, acompanhem a vida escolar dos seus filhos. Durante visitas mensais a mais de mil famílias, os agentes de saúde do NAMC vêm incentivando os pais a se envolverem no cotidiano escolar dos filhos e esclarecendo dúvidas a respeito do conteúdo da cartilha. 

Além dos agentes de saúde, a exposição do Comitê de Lauro de Freitas ressaltou a colaboração de 100 membros do movimento social Mulheres da Paz, que também vêm inserindo a Mobilização Social pela Educação nas atividades promovidas pelo projeto.

Acesse aqui imagens das ações promovidas pelo Comitê de Lauro de Freitas  apresentadas durante o Encontro de Lideranças.

Encontro de Lideranças: Bauru (SP) ressalta apoio de instituições religiosas

As ações desenvolvidas pelo Comitê de Mobilização do município paulista de Bauru foram apresentadas a mobilizadores de diversas regiões do País durante o Encontro Nacional de Lideranças da Mobilização Social pela Educação, realizado no Centro de Formação de Profissionais da Educação Ruth Cardoso (CENFORPE), em São Bernardo do Campo. A exposição do Comitê de Bauru compôs a mesa de debates “A ação dos voluntários em suas comunidades: exemplos de boas práticas de Mobilização”, promovida no primeiro dia de encontro, 12 de dezembro, na parte da manhã.

A apresentação, conduzida pela mobilizadora Rosimeire de Freitas Roveda, deu destaque às atividades de conscientização das famílias sobre a importância da interação família-escola realizadas com o apoio de representantes de instituições religiosas. Entre as entidades envolvidas nas ações do Comitê de Bauru, estão a Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP), a Aliança Pró-Evangelização de Crianças (APEC), representada pelo Pastor Ismael Jesus, a União das Sociedades Espíritas e a Pastoral da Educação.

A mobilizadora também ressaltou, em sua fala, as ações promovidas junto às escolas públicas de Bauru, como a Escola Estadual Pe. Antônio Jorge Lima e a Escola Estadual Iracema de Castro Amarante.

Acesse aqui o conteúdo da exposição dos mobilizadores de Bauru no Encontro de Lideranças.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Iniciativas de voluntários são destacadas no Encontro de Lideranças em São Bernardo do Campo

O Encontro Nacional de Lideranças da Mobilização Social pela Educação, realizado nos dias 12 e 13 de dezembro no município paulista de São Bernardo do Campo, abriu espaço para a divulgação das diversas experiências de Mobilização que vêm sendo desenvolvidas em todas as regiões do País. “A ação dos voluntários em suas comunidades: exemplos de boas práticas de Mobilização” foi o tema da primeira mesa de debate do evento. As discussões sobre o tema deram evidência a atividades bem-sucedidas promovidas por iniciativa dos mobilizadores.

Moderada pela mobilizadora Fátima José de Oliveira, da cidade goiana de Ceres, a mesa foi composta pelo membro da Representação do Ministério da Educação no Rio de Janeiro (REMEC/RJ), David Arcenio, e pelos mobilizadores Rosimeire de Freitas Roveda, de Bauru (SP), Fátima Carvalhal, de Lauro de Freitas (BA) e Doris Bertolino, representando o município de Pindamonhangaba (SP). Em suas apresentações, os participantes da mesa destacaram o apoio de instituições religiosas e, no caso de Lauro de Freitas, a parceria com o Núcleo de Articulação e Mobilização Comunitária (NAMC) da Secretaria Municipal de Saúde.

Nos próximos dias, serão divulgadas no Blog da Mobilização informações sobre as experiências apresentadas nesta e em outras mesas de debate do Encontro.

Alfabetização deve ser garantida até os oito anos de idade

Os três anos iniciais do ensino fundamental de nove anos constituem o ciclo da alfabetização e letramento e não devem ser passíveis de interrupção. É o que recomendam as novas diretrizes curriculares nacionais.
 
De acordo com o documento, mesmo quando o sistema de ensino ou a escola fizerem opção pelo regime seriado, será necessário considerar os três anos iniciais do ensino fundamental como um bloco pedagógico ou um ciclo sequencial não passível de interrupção, voltado para ampliar a todos os alunos as oportunidades de sistematização e aprofundamento das aprendizagens básicas.

Pesquisas já detectaram que a repetência durante esse período escolar não garante a alfabetização e pode prejudicar o rendimento escolar da criança no ensino fundamental como um todo e, particularmente, na passagem do primeiro para o segundo ano de escolaridade e deste para o terceiro. 

A complexidade do processo de alfabetização requer a continuidade do aprendizado para que sejam respeitados os diferentes tempos de desenvolvimento das crianças de seis a oito anos de idade. Ao final do ciclo, a criança deve estar alfabetizada. 

O Conselho Nacional de Educação (CNE) recomenda que os professores adotem formas de trabalho que proporcionem maior mobilidade das crianças nas salas de aula e as levem a explorar mais intensamente as diversas linguagens artísticas, a começar pela literatura, e a utilizar materiais que ofereçam oportunidades de raciocinar, manuseando-os e explorando as suas características e propriedades.

Já a avaliação deve assumir um caráter processual, formativo e participativo; ser contínua, cumulativa e diagnóstica. Para tanto, os educadores devem utilizar vários instrumentos e procedimentos, tais como a observação, o registro descritivo e reflexivo, os trabalhos individuais e coletivos, os portfólios, exercícios, provas, questionários, dentre outros, tendo em conta a sua adequação à faixa etária e às características de desenvolvimento do educando.

Fonte: Boletim SEB no. 46 16/12/2010

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Mobilização é uma das estratégias do PNE para cumprir metas do IDEB

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o ministro da Educação, Fernando Haddad, encaminharam ao Congresso Nacional na manhã desta quarta-feira, 15, o projeto de lei do Plano Nacional de Educação (PNE) para período 2011-2020.
O novo PNE apresenta dez diretrizes objetivas e 20 metas, seguidas das estratégias específicas de concretização. O texto prevê formas de a sociedade monitorar e cobrar cada uma das conquistas previstas. As metas seguem o modelo de visão sistêmica da educação estabelecido em 2007 com a criação do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). Tanto as metas quanto as estratégias premiam iniciativas para todos os níveis, modalidades e etapas educacionais. Além disso, há estratégias específicas para a inclusão de minorias, como alunos com deficiência, indígenas, quilombolas, estudantes do campo e alunos em regime de liberdade assistida.

Na Meta 7, que estabelece o alcance das médias nacionais para o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) referente aos anos iniciais e anos finais do ensino fundamental, assim como para o ensino médio, uma das estratégias diz respeito à Mobilização Social pela Educação, o que valoriza e reconhece a importância das ações que vêm sendo desenvolvidas pela rede de mobilizadores em todo o país, como segue:

7.20) Mobilizar as famílias e setores da sociedade civil, articulando a educação formal com experiências de educação popular e cidadã, com os propósitos de que a educação seja assumida como responsabilidade de todos e de ampliar o controle social sobre o cumprimento das políticas públicas educacionais.

7.21) Promover a articulação dos programas da área da educação, de âmbito local e nacional, com os de outras áreas como saúde, trabalho e emprego, assistência social, esporte, cultura, possibilitando a criação de uma rede de apoio integral às famílias, que as ajude a garantir melhores condições para o aprendizado dos estudantes.

Clique aqui e confira a íntegra do PNE.

Veja, a seguir, as 20 metas do PNE:

Meta 1: Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de 4 e 5 anos, e ampliar, até 2020, a oferta de educação infantil de forma a atender a 50% da população de até 3 anos.

Meta 2: Universalizar o ensino fundamental de nove anos para toda população de 6 a 14 anos.
  
Meta 3: Universalizar, até 2016, o atendimento escolar para toda a população de 15 a 17 anos e elevar, até 2020, a taxa líquida de matrículas no ensino médio para 85%, nesta faixa etária.

Meta 4: Universalizar, para a população de 4 a 17 anos, o atendimento escolar aos estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação na rede regular de ensino.

Meta 5: Alfabetizar todas as crianças até, no máximo, os oito anos de idade.

Meta 6: Oferecer educação em tempo integral em 50% das escolas públicas de educação básica.

Meta 7: Atingir as seguintes médias nacionais para o IDEB:

IDEB
2011
2013
2015
2017
2019
2021
Anos iniciais do ensino fundamental
4,6
4,9
5,2
5,5
5,7
6,0
Anos finais do ensino fundamental
3,9
4,4
4,7
5,0
5,2
5,5
Ensino médio
3,7
3,9
4,3
4,7
5,0
5,2


Meta 8: Elevar a escolaridade média da população de 18 a 24 anos de modo a alcançar mínimo de 12 anos de estudo para as populações do campo, da região de menor escolaridade no país e dos 25% mais pobres, bem como igualar a escolaridade média entre negros e não negros, com vistas à redução da desigualdade educacional.

Meta 9: Elevar a taxa de alfabetização da população com 15 anos ou mais para 93,5% até 2015 e erradicar, até 2020, o analfabetismo absoluto e reduzir em 50% a taxa de analfabetismo funcional.

Meta 10: Oferecer, no mínimo, 25% das matrículas de educação de jovens e adultos na forma integrada à educação profissional nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio.

Meta 11: Duplicar as matrículas da educação profissional técnica de nível médio, assegurando a qualidade da oferta.

Meta 12: Elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% e a taxa líquida para 33% da população de 18 a 24 anos, assegurando a qualidade da oferta.

Meta 13: Elevar a qualidade da educação superior pela ampliação da atuação de mestres e doutores nas instituições de educação superior para 75%, no mínimo, do corpo docente em efetivo exercício, sendo, do total, 35% doutores.

Meta 14: Elevar gradualmente o número de matrículas na pós-graduação stricto sensu de modo a atingir a titulação anual de 60 mil mestres e 25 mil doutores.

Meta 15: Garantir, em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, que todos os professores da educação básica possuam formação específica de nível superior, obtida em curso de licenciatura na área de conhecimento em que atuam.

Meta 16: Formar 50% dos professores da educação básica em nível de pós-graduação lato e stricto sensu, garantir a todos formação continuada em sua área de atuação.

Meta 16: Formar 50% dos professores da educação básica em nível de pós-graduação lato e stricto sensu, garantir a todos formação continuada em sua área de atuação.

Meta 17: Valorizar o magistério público da educação básica a fim de aproximar o rendimento médio do profissional do magistério com mais de onze anos de escolaridade do rendimento médio dos demais profissionais com escolaridade equivalente.

Meta 18: Assegurar, no prazo de dois anos, a existência de planos de carreira para os profissionais do magistério em todos os sistemas de ensino.

Meta 19: Garantir, mediante lei específica aprovada no âmbito dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, a nomeação comissionada de diretores de escola vinculada a critérios técnicos de mérito e desempenho e à participação da comunidade escolar.

Meta 20: Ampliar progressivamente o investimento público em educação até atingir, no mínimo, o patamar de 7% do produto interno bruto do país.


Com informações do Portal Mec de 15/12/2010.
Leia mais: Lula envia ao Congresso o projeto de lei com as metas para 2011-2020

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Experiências de mobilização são compartilhadas com lideranças de todo o país

Reunidos em São Bernardo do Campo, nos dias 12 e 13 de dezembro, cerca de 170 lideranças do Plano de Mobilização Social pela Educação de todo o país compartilharam experiências e discutiram casos apresentados por seus colegas.

Desde o lançamento do projeto, em maio de 2008,  o Ministério da Educação promove reuniões
periódicas com pessoas que lideram redes de mobilizadores em todo o país.  O  encontro realizado no início desta semana teve algumas particularidades, demonstrando que o movimento vem se consolidando a cada dia.
  • Destaca-se, por exemplo, o número de participantes, o maior de todos os eventos realizados até agora. A abrangência geográfica - só não havia mobilizadores do Amazonas, Acre, Amapá, Rondônia, Tocantins e Mato Grosso - demonstra que, de Roraima ao Rio Grande do Sul, existem núcleos de mobilizadores formados e atuantes em grandes, médias e pequenas cidades.

  • Novos rostos, novas experiências a compartilhar, novos contatos sendo estabelecidos dentro da rede com os pioneiros da mobilização. Metade dos presentes participava pela primeira vez de um encontro de lideranças.

  • Todos os segmentos envolvidos até agora com a mobilização estiveram representados: instituições religiosas, secretarias de educação, empresas, entidades de representação, institutos e entidades de responsabilidade social, pais e mães de alunos, lideranças comunitárias e jovens mobilizadores.

  • A metodologia do encontro, que privilegiou as mesas para apresentação e debate de experiências de: voluntários, famílias e lideranças comunitárias, secretarias de educação e outros órgãos governamentais, empresas, institutos de responsabilidade social e entidades de representação.

  • A diversidade de experiências, de estratégias, de recursos utilizados para a mobilização das famílias.

  • Os resultados do trabalho, como o interesse das famílias pela escola e por conhecer o IDEB, a adesão de professores das redes envolvidas, o apoio explícito de prefeitos e de autoridades locais.
Nas próximas postagens serão mostrados resumos das experiências e de outros pontos marcantes do encontro de lideranças.

Presidente envia ao Congresso o Plano Nacional da Educação 2011-2020

O governo federal encaminhará amanhã, 15, ao Congresso Nacional o Plano Nacional de Educação (PNE). O novo documento sintetiza 20 metas e aponta estratégias para o avanço da educação brasileira no decênio 2011-2020. Em entrevista ao programa de rádio Café com o Presidente, o presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, e o ministro da Educação, Fernando Haddad, ressaltaram que o PNE vai investir principalmente na qualidade da educação e na valorização dos professores.

O PNE 2011-2020 reforça a visão sistêmica da educação, que vai da creche à pós-graduação. Entre as metas prioritárias está a universalização do atendimento desde a educação infantil até o ensino médio — alunos de quatro a 17 anos. “O PNE não é um programa para um governo, é um programa para a educação brasileira que pode perpassar dois governos e meio”, disse Lula.

O novo PNE contém metas para todos os níveis de ensino e também para a educação profissional. Segundo o presidente, a qualidade da educação brasileira, em cada uma de suas etapas, será um desafio de governo para a presidente eleita, Dilma Rousseff. “Se no nosso mandato fizemos um investimento muito forte na educação universitária, daqui para a frente precisaremos de mais ousadia para o ensino fundamental”, alertou Lula. “É preciso construir parcerias com prefeitos e governadores para que todos nós assumamos definitivamente a responsabilidade de que a educação é a nossa prioridade”.


Com informações do Portal Mec de 13/12/2010.
Leia mais: Meta para o futuro é investir na qualidade e no professor 

Banco Mundial aponta avanços e desafios da educação brasileira

O Brasil registrou avanços em educação nos últimos 15 anos, mas ainda há desafios a superar para garantir o progresso do país. Esta é a síntese de estudo do Banco Mundial, Achieving World Class Education in Brazil: The Next Agenda (Chegando a uma educação de nível mundial, na tradução oficial), divulgado nesta segunda-feira, 13.

O estudo destaca os progressos alcançados nos últimos anos por meio de políticas continuadas e de reformas efetivas e duradouras e dá como referência os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) de 2009 — o Brasil está entre os três países que mais evoluíram nos últimos anos, principalmente pela redução da distorção entre idade e série.

Outro destaque do relatório é o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e, a partir dele, o estabelecimento de metas para alcançar o nível de qualidade dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômicos (OCDE). Para o Banco Mundial, o Brasil pode ser considerado líder na América Latina em áreas como avaliação de aprendizado e monitoramento do desempenho em educação, já que o sistema escolar sabe o quanto seus alunos estão aprendendo.

Outro destaque é o aumento, de 1990 a 2010, no número de anos de estudo dos trabalhadores brasileiros, mais rápido que qualquer outro país em desenvolvimento, incluindo a China – recordista mundial do aumento da escolaridade nas décadas anteriores. A análise demonstra que, em 1993, cerca de 70% da população ocupada entre 26 e 30 anos tinha menos de 11 anos de escolaridade; hoje, a taxa é de 40%. 

A criação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), depois ampliado para todos os níveis da educação básica com o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) também foi citada no estudo. A medida permite equilibrar o investimento por aluno em todo o país. Além disso, iniciativas de formação inicial e continuada dos professores e a criação do piso salarial nacional para a categoria são citadas como ações bem sucedidas.

Próximos desafios – Para o Banco Mundial, entre os próximos desafios do Brasil estão o fortalecimento da educação infantil, a atualização do ensino médio, a maximização do impacto do governo federal nas ações em educação, a melhoria da qualidade dos professores e a manutenção dos rumos atuais.

Para os mobilizadores sociais pela educação, fica o desafio de continuar o trabalho para garantir que os avanços continuem e se aprofundem.

Com informações do Portal Mec de 13/12/2010. 
Leia mais: Banco Mundial analisa a evolução e os desafios da educação  brasileira

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Humberto de Campos (MA) adere à Mobilização Social pela Educação

O município de Humberto de Campos é o mais novo parceiro da Mobilização Social pela Educação no Maranhão. No dia 19 de novembro, os mobilizadores anunciaram a formação do Comitê local, com o intuito de fortalecer e ampliar as ações de Mobilização que vinham sendo desenvolvidas junto à comunidade.

O encontro em que foi definida a composição do Comitê contou com a participação do prefeito municipal, de secretários municipais, professores e gestores, além de representantes de  associações de moradores e das igrejas Católica e Evangélica. Também estiveram presentes membros do Conselho Tutelar, do Conselho Municipal do Direito da Criança e do Adolescente (CMDCA) e do Conselho Escolar de Pais.

Durante o evento, os participantes receberam informações sobre o Plano de Mobilização Social pela Educação (PMSE) e foram orientados a incentivar a interação família-escola nas suas áreas de atuação, destacando a importância do envolvimento das famílias na vida escolar dos filhos para a melhoria da qualidade do ensino.

Ao final do evento, para divulgar a Mobilização Social pela Educação em todo o município, os mobilizadores realizaram uma caminhada pela cidade, portando faixas com mensagens de incentivo à participação dos pais no cotidiano escolar dos filhos. A caminhada reuniu, além dos participantes do encontro, alunos de escolas da rede pública e seus familiares.

Desde 25 de outubro, quando tiveram início as atividades de Mobilização em Humberto de Campos, o PMSE vem sendo divulgado em palestras nas escolas e em programas da  Rádio Oceânica FM, localizada no município vizinho de Primeira Cruz. Para subsidiar as ações, os mobilizadores confeccionaram materiais sobre o PMSE, como panfletos explicativos e camisetas, que foram distribuídos durante as atividades.

O Comitê de Mobilização de Humberto de Campos tem a seguinte composição: 

•    Alcimara Simone Freitas Mota – Professora
•    Ana Carolina Oliveira Prado – Professora - carolinaprdeducadora@bol.com.br
•    Eva Maria Nascimento Ferreira – representante da Comunidade Rosário de Fátima
•    Francisca da Silva da Cruz – Professora
•    Irene da Silva Sales – Professora
•    José Arteiro S. Filho – Professor
•    Jossenira de Matos Cruz - Professora / Gestora
•    Maria do Espírito Santo Santos Cruz – Presidente da União dos Moradores do Bairro do Gomes
•    Maria do Socorro Machado Silva - Articuladora Municipal, Professora e Técnica Pedagógica - socorromachado79@hotmail.com
•    Maria do Rosário de Fátima Lago – Professora/representante da APAE Escola
•    Maria Edinalva Costa Silva – representante do Conselho de Pais
•    Maria Sônia Gomes dos Santos – Membro do Movimento de Mulheres
•    Maria Tarcila Dutra dos Santos - representante da Comunidade Rosário de Fátima
•    Rita Maria Sales Ribeiro - Representante do Conselho de Pais - ritamariasalles@gmail.com 

Com informações de Maria do Socorro Machado Silva, membro do Comitê de Mobilização de Humberto de Campos (MA)

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Lideranças da Mobilização preparam-se para Encontro Nacional

Lideranças sociais e religiosas, secretários municipais de Educação, servidores de outras secretarias de áreas sociais, agentes comunitários de saúde, profissionais da área de assistência social, conselheiros tutelares, representantes do setor empresarial e de segmentos organizados dos setores público e privado estarão reunidos, nos dias 12 e 13 de dezembro, durante o Encontro Nacional de Lideranças da Mobilização Social pela Educação. O evento será realizado na cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo, no Centro de Formação de Profissionais da Educação Ruth Cardoso (Cenforpe).

Coordenado pelo Ministério da Educação (MEC), o Encontro prevê extensa programação. No domingo (12), a abertura do evento contará com exposição da secretária municipal de Educação de São Bernardo do Campo, Cleuza Repulho, sobre a importância da interação família-escola. Na seqüência, a assessora especial do Ministro da Educação e coordenadora da Mobilização Social pela Educação do MEC, Linda Goulart, deverá apresentar o balanço das atividades desenvolvidas, de maio de 2008 a dezembro de 2010, no sentido de estimular a participação das famílias na vida escolar dos filhos para a melhoria do aproveitamento do ensino.

Apresentações referentes às boas práticas de Mobilização desenvolvidas por voluntários em suas comunidades; estratégias de ações das empresas para mobilizar seus públicos; a inclusão da Mobilização em projetos sociais de organizações não governamentais; o papel das secretarias de Educação na interação família-escola; e a importância das políticas intersetoriais para a garantia do direito de aprender também integram a programação do Encontro de Lideranças da Mobilização. 


Palestra Magna sobre o novo PDE




A exposição sobre o novo Plano Nacional de Educação (PDE), que será coordenada pelo secretário executivo adjunto do MEC, professor Francisco das Chagas Fernandes, é o destaque do segundo dia de atividades do Encontro de Lideranças da Mobilização Social pela Educação.


Clique na figura ao lado para visualizar a programação completa.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Pisa: avaliação revela que o Brasil está entre os três países que mais evoluíram em educação na última década

O avanço da educação no Brasil na última década, que ficou entre os três países que mais evoluíram no ensino público neste período, foi evidenciado nesta terça-feira, 7 de novembro, por meio da divulgação do relatório preliminar do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) 2009.

Confira abaixo a matéria sobre o tema publicada no Portal do MEC e converse com outros mobilizadores sociais pela educação sobre como esses atores podem colaborar com o alcance das metas postas pelo Ministério da Educação para a melhoria do ensino no Brasil.

Na seqüência, leia também o texto divulgado no site G1, informe-se e repercuta o tema entre os colegas mobilizadores. “A meta para 2012 é subir mais 16 pontos e chegar a 417. Para alcançar essa meta, é prioritário investir em educação infantil e na valorização do magistério, em formação e remuneração”, afirmou o ministro da Educação, Fernando Haddad, sobre o posicionamento do Brasil nos resultados da avaliação do Pisa.

“Não podemos desprezar esse resultado. A meta foi cumprida, mas temos que olhar para frente e admitir que temos muito trabalho. Temos aí um século de defasagem, de desvantagem para tirar, mas há um caminho, há um norte. O que os números revelam é o seguinte: o sistema educacional brasileiro está reagindo aos estímulos”, afirmou Haddad.

E esta conquista depende, também, da contribuição de cada mobilizador social pela educação, por meio do reforço a ações que estimulem a interação família-escola, ou seja, que demonstrem a importância e incentivem a participação dos pais na vida escolar dos filhos.


Portal do Mec - Terça-feira, 07 de dezembro de 2010.
Avaliação internacional
Brasil é o terceiro que mais cresceu na década em educação básica

O Brasil aparece entre os três países que mais evoluíram na educação básica nesta década. A informação consta do relatório preliminar do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) 2009, divulgado nesta terça-feira, 7, pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em Paris.

A educação brasileira evoluiu 33 pontos entre os exames realizados no período 2000-2009. Em 2000, a média brasileira das notas em leitura, matemática e ciências era de 368 pontos. Em 2009, a média subiu para 401 pontos. Com isso, o país atingiu a meta do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), que era média de 395 pontos nas três disciplinas.

Na avaliação do ministro da Educação, Fernando Haddad, diversos fatores produziram esses resultados. Ele destaca o crescimento do investimento em educação, o foco na aprendizagem das crianças, a definição de metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) por escolas. A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) também é responsável pelo impacto positivo nos resultados, em sua avaliação.

Para Haddad, o “sistema educacional brasileiro está reagindo aos estímulos”. O resultado do Pisa no último triênio revela, segundo o ministro, que o país está no rumo certo e que há espaço para crescer. “A meta para 2012 é subir mais 16 pontos e chegar a 417.” Para alcançar essa meta, é prioritário investir em educação infantil e na valorização do magistério, em formação e remuneração, afirmou.

Crescimento – O Brasil teve o terceiro maior avanço entre todos os países, sendo superado apenas pelo Chile, que cresceu 37 pontos, e por Luxemburgo, com avanço de 38 pontos. Na tabela geral, o Brasil está na 53ª posição. Entre as nações latino-americanas, superou a Argentina e a Colômbia. Está 19 pontos atrás do México, que ocupa o 49º lugar; a 26 pontos do Uruguai (47º), e a 38 pontos do Chile (45º).
A avaliação foi realizada em 65 países, 34 deles da OCDE. Participaram 470 mil estudantes, sendo 20 mil brasileiros, das 27 unidades da Federação, de escolas urbanas e rurais, públicas e privadas. Responderam as provas de leitura, matemática e ciências estudantes nascidos em 1993.

Na média nacional, o Brasil cresceu principalmente em matemática, passando de 334 pontos, em 2000, para 386 pontos em 2009; em ciências, passou de 375 para 405, e em leitura, de 396 para 412.

Na avaliação do Pisa por unidades da Federação, o Distrito Federal aparece com as melhores notas, seguido por Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraná, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Goiás, todos com média superior à média nacional. (Assessoria de Comunicação Social)

Confira a integra das tabelas.

Leia mais no site do G1
Ministro da Educação comentou posição do Brasil no ranking da OCDE. Exame avalia conhecimentos de leitura, matemática e ciências.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Rio: comunidades Chapéu Mangueira e Babilônia recebem Mobilização em Dia de Ação Social

Integrantes do Comitê de Mobilização Social pela Educação dos morros do Chapéu Mangueira e Babilônia, no bairro do Leme, Zona Sul da capital fluminense, estão participando das últimas reuniões de pais programadas para o ano de 2010 nas escolas públicas e creches comunitárias dessas comunidades. Ao longo do mês de dezembro, esses mobilizadores vão divulgar a cartilha Famílias, acompanhem a vida escolar dos seus filhos e estimular a reflexão sobre o conteúdo da publicação, em ações que envolvem pais e profissionais da educação.

Com o objetivo de divulgar as ações e os novos projetos desenvolvidos pelo comitê, os mobilizadores que o integram participaram do Dia de Ação Social, evento realizado no dia 13 de novembro, nos morros Chapéu Mangueira e Babilônia. Durante a atividade, eles montaram stand, onde também distribuíram exemplares da cartilha e debateram sobre a mensagem da publicação com os visitantes.

Os integrantes do Comitê Rio, Ana Felipe, Sérgio Maia e David Arcenio, que também é membro da Representação do Ministério da Educação no Rio de Janeiro (REMEC/RJ), esclareceram dúvidas dos familiares de alunos e sugeriram formas de participar do cotidiano escolar de crianças e adolescentes, levando em consideração a realidade das famílias locais.




Comitê de Mobilização Chapéu Mangueira e Babilônia

A formação do Comitê de Mobilização que atua nas comunidades de Chapéu Mangueira e Babilônia foi definida em 16 de julho de 2009. O grupo é formado por voluntários que participaram da Oficina de Formação de Mobilizadores realizada dias 14 e 15 de maio do mesmo ano, no Rio de Janeiro. Os membros do comitê têm desenvolvido, junto às famílias de ambas as comunidades, diversas atividades de conscientização dos pais e responsáveis sobre a importância do envolvimento na trajetória escolar dos filhos.

Com informações de Sérgio Benedito Maia, representante do Comitê Rio

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Informativo do Consórcio CCPR divulga a Mobilização Social pela Educação

O informativo Zé Coque Notícias, produzido mensalmente pelo Consórcio CCPR-Repar divulgou, em sua edição de novembro, o Plano de Mobilização Social pela Educação (PMSE). A publicação, que tem tiragem de 3 mil exemplares  para distribução  entre os funcionários que atuam no Consórcio formado pela construtora Camargo Corrêa e a Promon Engenharia, apresenta convite aos profissionais para que integrem as ações de Mobilização e se envolvam efetivamente na vida escolar dos filhos.

O texto do informativo destaca a importância da responta, por parte dos  profissionais, ao questionário formulado pela equipe do CCPR para mapear como os funcionários que possuem filhos em idade escolar vêm acompanhando o cotidiano de estudos de crianças e adolescentes. A partir das respostas ao questionário, será elaborado pelo Consórcio um plano de ação para orientar as atividades a serem  desenvolvidas com o intuito de incentivar a interação família-escola.

A matéria apresenta, ainda, informações a respeito do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e relato de como a participação de um pai, funcionário do Consórcio, melhorou os estudos de seu filho.

Confira aqui a divulgação do PMSE no Zé Coque Notícias.

Leia mais sobre as ações do Consórcio CCPR: Araucária (PR) sedia Encontro de Mobilizadores Sociais pela Educação

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Compromisso Campinas pela Educação lança Núcleo de Mobilização

Durante evento em comemoração ao aniversário de três anos do Compromisso Campinas pela Educação (CCE), foi realizado, no dia 25 de novembro, o lançamento do Núcleo de Mobilização Social pela Educação. O Núcleo de Mobilização é a nona célula de trabalho do CCE e tem como objetivo reunir interessados em desenvolver ações que promovam a melhoria da qualidade do ensino oferecido nas escolas públicas.

Cerca de 130 pessoas participaram da solenidade de comemoração, entre
autoridades, formadores de opinião e diversos parceiros do movimento. O evento também contou com a presença da coordenadora nacional da Mobilização Social pela Educação e assessora especial do Ministério da Educação, Linda Goulart, que havia sugerido a criação do Núcleo de Mobilização, em atividade realizada no dia 23 de setembro.
 

A atividade marcou, ainda, o lançamento da campanha publicitária “Eu abracei o compromisso com a educação”, que conta com kit composto por bóton, adesivo e camiseta. Esses materiais serão distribuídos nas ações realizadas pelo CCE e utilizados como uniforme pelos integrantes do Núcleo de Mobilização.

Parceiros

Para a organização do evento do dia 25 de novembro, o Compromisso Campinas pela Educação contou com o apoio da Fundação FEAC, que cedeu seu auditório para a realização da atividade. A Fundação, que têm apoiado as ações do CCE desde o início dos trabalhos, anunciou, durante a comemoração, o lançamento de projeto que busca qualificar e promover o desenvolvimento de sete escolas estaduais de Campinas. Para tanto, a FEAC concentrará esforços nas áreas de gestão, de infraestrutura, de relação comunitária e pedagógica.

Outra novidade apresentada no evento foi a adesão da Associação Atlética Ponte Preta e do Guarani Futebol Clube como parceiros do CCE. Em 2011, ambos os times portarão faixas com mensagens de apoio ao Compromisso Campinas pela Educação nos jogos disputados em Campinas, entre outras ações ainda sendo programadas.

Leia mais sobre o lançamento do Núcleo de Mobilização e a comemoração dos três anos do CCE no site do Compromisso Campinas pela Educação.

Fotos: Marcos Peron

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

GO: município de Campinorte forma Comitê de Mobilização

A cidade de Campinorte, localizada no norte goiano, divulga a composição do Comitê de Mobilização Social pela Educação que vem atuando no município. O grupo vem promovendo reuniões mensais para avaliação das ações implementadas e planejamento de novas atividades. Além da secretária de Educação, o Comitê é composto por professores, gestores e coordenadores de escolas públicas municipais, pelo pastor da igreja Assembleia de Deus, Raimundo Norberto França, e por representantes do poder público, como o vereador Walter José de Andrade e a vice-prefeita, Terezinha Abadia de Souza.

O anúncio da formação do Comitê foi feito durante evento que reuniu cerca de 120 representantes de diversos segmentos sociais, no dia 10 de setembro. 

Denominado pelos mobilizadores de “Campinorte em Ação”, o Comitê recebe o apoio da secretária municipal de Educação de Campinorte, Luciene Alves Valentin Silva, do Pe. Rogério Alves Gomes e do Pe. Agamenilton Damascena, integrante do Comitê de Uruaçu (GO).

Confira abaixo a composição completa do Comitê “Campinorte em Ação”:


  • Aparecida Antunes Borges – 1° Dama – educacaocampinorte@hotmail.com
  • Arimeire Borges de Paula Silva – Professora – arimeirebpsilva@hotmail.com
  • Cleci da Silva Pires Paixão – Professora – cleci22@hotmail.com
  • Cleide Luiz Vieira da Silva – Professora – cleide_vieira29@hotmail.com
  • Cleonice Aparecida dos Santos – Professora – profcleonice1@gmail.com
  • Dalva Marques da Costa – Diretora – dalvacm.2009@hotmail.com
  • Ednamar Soares F. Rosa – Professora – edinamar.sr@hotmail.com
  • Flávia Adriana da Silva – Diretora – flavinha.adriana@hotmail.com
  • Keila Cândida Mota Lagares – Secretária – keila.mota1@hotmail.com
  • Luci Alves de Santana – Tesoureira – lucisantana68@hotmail.com
  • Luciene Alves Valentin Silva – Secretária Municipal de Educação – lucienevalentim@hotmail.com
  • Lucilla Alves Valentin Lopes – Professora – lucillavalentim@hotmail.com
  • Lucivainy Ferreira de Oliveira – Diretora – lucivainy2008@hotmail.com
  • Madalena Alves Amaro – Presidente – soniaverdurao@hotmail.com
  • Márcia Kelem S. da Silva – Professora – marciakel1@hotmail.com
  • Maria Carolina Stival – educacaocampinorte@hotmail.com
  • Maria da Gloria Alves Souza – Coordenadora – airogalves@gmail.com
  • Maria Lúcia de Oliveira – Assessora – marialucia.o@hotmail.com
  • Naysa Julliana de O. Gomides – Professora – naysagomides@hotmail.com
  • Raimunda Gomes Aguiar Cabral – Professora
  • Raimundo Norberto S. de França – Pastor da Assembleia de Deus – norbertoraimundo@hotmail.com
  • Sônia Francisco da Silva – Professora – sonnia2011@hotmail.com
  • Sonia Maria Amaro Gomes – Coordenadora – soniaverdurao@hotmail.com
  • Terezinha Abadia de F. Souza – Vice-Prefeita – educacaocampinorte@hotmail.com
  • Ueslaine Patrícia de Jesus – Professora – educacaocampinorte@hotmail.com
  • Walter José R. de Andrade – Vereador – pretinchacara@hotmail.com