segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Cartilha da Mobilização é divulgada em escola de Bauru (SP)

Pais de alunos e educadores da Escola Municipal de Ensino Fundamental Cônego Aníbal Difrancia, em Bauru (SP), foram apresentados, nos dias 10 e 16 de fevereiro, à Cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos. Conduzidas pelo membro do Comitê de Mobilização Social pela Educação do município, Gilmar de Carvalho, as exposições foram realizadas durante reuniões de pais e mestres da unidade de ensino.

De acordo com o mobilizador, a direção da EMEF se mostrou receptiva à participação do Comitê nas reuniões. Durante os encontros, os familiares receberam orientações sobre como acompanhar o cotidiano escolar dos filhos, contribuindo, desse modo, para a melhoria do aproveitamento do ensino. 

Com informações do mobilizadores Gilmar de Carvalho e Rosimeire de Freitas Roveda,  integrantes do Comitê de Mobilização de Bauru (SP).

O papel das secretarias de educação na interação família-escola


Vem crescendo o reconhecimento por parte das secretarias de educação da importância da interação família-escola e dos benefícios que ela traz para todos: escola, família, alunos. A cada dia novas secretárias têm aderido ao plano de mobilização social pela educação, como atestam as inúmeras iniciativas registradas neste espaço. São novas abordagens junto às famílias, visitas dos professores às casas de seus alunos, realização de oficinas de capacitação na mobilização para os profissionais de suas redes, lançamentos públicos do plano , impressão e distribuição da cartilha "Acompanhem a vida escolar de seus filhos". As secretarias têm sido solicitado, também, orientações que as ajudem na mobilização das famílias de seus estudantes e das comunidades do entorno da escola.

Para apoiar essas orientações e compartilhar preocupações sobre como promover a interação família escola, iniciamos hoje a postagem de um conjunto de pequenos artigos com reflexões sobre vários pontos. Essas reflexões partem da revisão de estudos realizados, assim como da experiência de três anos de trabalho dos voluntário da rede de mobilizadores.


Conheça algumas das experiências de secretarias de educação que fazem parte da rede de mobilização social pela educação.
Clique aqui.

A interação família escola é um tema que tem sido tratado com freqüência por especialistas em vários países. No Brasil, diversos autores têm tratado a questão desde o final da década passada, todos eles convergindo para a necessidade imperiosa de se promover essa parceria para garantir melhores resultados educacionais. Os estudos e pesquisas sobre o assunto mostram que o envolvimento das famílias na educação de seus filhos e dependentes tem trazido uma série de benefícios para os estudantes, como melhor na capacidade de leitura, níveis mais altos de desempenho, maiores habilidades sociais e comportamentais e o aumento da probabilidade de conclusão do ensino médio. As crenças, atitudes e valores dos pais em relação às práticas educacionais, assim como uma boa comunicação casa-escola, contribuem decisivamente para o sucesso do aluno.

Professores, gestores e funcionários das escolas têm papel decisivo na participação da família na vida escolar dos filhos e dependentes. Papel reconhecido pela Lei de Diretrizes e Bases, que aponta em seu Art. 12º. que, entre outras, os estabelecimentos de ensino, têm a incumbência de articular-se com as famílias e a comunidade, criando processos de integração da sociedade com a escola. E que devem, também, informar os pais e responsáveis sobre a freqüência e o rendimento dos alunos, bem como sobre a execução de sua proposta pedagógica.


No entanto, as escolas, em geral, têm resistido a essa aproximação por várias razões. Muitos professores e gestores acreditam que a presença dos pais na escola atrapalha a rotina e cria problemas. Dizem que para isso já existem as reuniões periódicas, ressaltando que, nessas ocasiões, poucos aparecem. Além disso, consideram que a questão pedagógica não diz respeito a leigos e discuti-la com a família acaba tirando a autoridade e enfraquecendo o papel da escola. Com esses, e outros argumentos, acabam por dificultar tal participação.


As famílias – em especial as que têm filhos e dependentes na escola pública - por sua vez, também não percebem a importância de sua participação para melhorar o desempenho dos seus e os da escola em geral. Na sua quase maioria pouco escolarizados e tendo tido muitas vezes uma experiência desagradável durante sua vida escolar, comparam a “escola de seu tempo” com a de agora. Há relatos de pais, avós, tios dos estudantes atuais apontando a dificuldade para conseguir vaga, a distância que tinham que percorrer para chegarem a tempo do início das aulas, a falta de material didático e muitas outras situações que acabavam por inviabilizar a continuidade dos estudos. Hoje, ao constatarem vagas garantidas para todas as crianças de 6 a 14 anos, livro didático, merenda, transporte, laboratórios de informática, pensam que está tudo muito bom. Pior, confundem esse direito com benefício que não podem perder. Como chama a atenção o ministro Fernando Haddad, temos que mostrar a essas famílias que, para além de todas essas melhorias, o estado tem também o dever de fazer o aluno aprender. Esse é um direito que as famílias devem cobrar. E que é nossa responsabilidade mostrar-lhes isso.


Coloca-se, então, o seguinte ponto: como convencer as escolas e as famílias de que todos têm a ganhar com a interação? E mais, como lidar com as famílias, em grande parte em estado de grande vulnerabilidade social?


Tais questões serão abordadas nos próximos artigos.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Mobilização social pela educação avança pelo país e é prioridade no governo Dilma

Mais em alta do que nunca, a Mobilização Social pela Educação conquistou um lugar entre as prioridades do novo governo. Prova disso, foi a ênfase que a presidenta Dilma Rousseff deu ao tema em seu primeiro pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão realizado no último dia 10 de fevereiro. Em sua fala, Dilma convocou os brasileiros a lutarem por esta causa e disse: “Nenhuma área pode unir melhor a sociedade que a educação. Nenhuma ferramenta é mais decisiva do que ela para superarmos a pobreza e a miséria”.

Para discutir essa questão tão prioritária, o Blog Educação convidou a responsável pela área de Mobilização Social do Ministério da Educação (MEC), e também assessora do ministro Fernando Haddad, Linda Goulart, para um bate-papo. Durante a conversa, Linda fala dos avanços já alcançados com as ações do Plano de Mobilização Social pela Educação, dá exemplos de estratégias bem sucedidas usadas na sensibilização das famílias e destaca os desafios que o país ainda tem pela frente na busca por um ensino de qualidade e acessível a todos.

Vale lembrar que o Plano de Mobilização Social é um chamado do Ministério da Educação à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da qualidade da educação. Lançado em maio de 2008 pelo governo, é hoje um dos pilares do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE).

Quer saber mais sobre esse importante trabalho e de que forma você também pode contribuir para a causa da educação? Confira, então, a entrevista exclusiva com Linda Goulart.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Rio de Janeiro: Queimados lança cartilha Acompanhem a vida escolar de seus filhos


A cartilha Acompanhem a vida Escolar de seus filhos será lançada pela Secretaria de Educação do município de Queimados, na Baixada Fluminense no próximo dia 28 de março, em evento para as famílias dos alunos da rede e lideranças da comunidade. Par isso, mandou imprimir exemplares da cartilha que serão trabalhados pelos professores com os alunos e seus familiares. Deverão estar presentes, também, secretários e gestores educacionais dos municípios vizinhos interessados e promover a interação família-escola em suas cidades.

A Secretaria de Educação de Queimados vem trabalhando com seus professores e gestores o tema da mobilização das famílias para que elas participem ativamente da vida escolar de seus filhos. Pretende, com isso, implementar o projeto ao longo de 2011, com vistas, entre outros ganhos, melhorar o aproveitamento dos alunos na Prova Brasil, que será aplicada no final do ano. Ao lado disso, serão concentrados esforços para melhorar o fluxo na rede, o que impactará nos resultados do próximo Ideb. Nos anos iniciais, o índice é de 3,9, e está abaixo da meta que é de 4,1. O desafio será atingir o Ideb 4,7 em 2012, o que significa muito esforço das escolas e das famílias.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Secretarias de Educação discutem importância da interação família-escola

Convidadas pela Secretaria de Educação de Restinga (SP), secretários e gestores das secretarias dos munípios da região de Franca participaram, no dia 16 de fevereiro, de um encontro para discutir a importância da interação família-escola e de estratégias a serem utilizadas para promover a interação.
O encontro contou com a participação da assessora especial do Ministro da Educação, Linda Goulart, que coordena a mobilização social, que apresentou os fundamento do Plano de mobilização, com ênfase no papel das secretarias de educação para sensibilizar e incentivar as escolas de suas redes a estreitar os laços com as famílias dos alunos e as comunidades no seu entorno. A outra palestra ficou a cargo da coordenadora pedagógica regional da Uniube, AnaméliaGuasti Norinho, que falou sobre os gestos de uma educação de qualidade, apontando para os cuidados que os professores devem ter com seus alunos e familiares.
O evento foi aberto pelo prefeito de Restinga, Ivanildo Donizete, que reafirmou seu compromisso com a educação, e pela secretária do município, Nize Lane Soares do Couto.
Participaram gestores e professores de Restinga e os secretários e gestores educacionais de Jardinópolis, Cristais Paulista, Igarapava, Franca, Batatais, Altinópolis, Jeriquara, Guará, S. Joaquim da Barra, Brodowski, Rifaina e Patrocínio Paulista,todos da região, e Delfinópolis, de Minas Gerais.

Sacolinha literária incentiva leitura e interação família-escola

Famílias de crianças da educação infantil de Santo Antônio do Descoberto, em Goiás, estão sendo convidadas a lerem e discutirem com seus filhos livros, revistas e outras publicações cedidas pela Secretaria de Educação do município. A iniciativa tem como objetivo incentivar a leitura e a interação família-escola. Para isso, foi criada a Sacolinha Literária, entregue a todas as crianças da educação infantil. Na sacolinha vão livros, revistas, notícias e a Cartilha Acompanhem a Vida Escolar de seus Filhos para serem lidos e discutidos em conjunto pela família da criança. Após a leitura, a família devolve o material para a escola que o disponibilizará para outra criança.

A Sacolinha Literária faz parte do Projeto Literarte, criado pelo Departamento de Educação Infantil da Secretaria e coordenado pelas professoras Loiane Medeiros Oliveira Silva e Andréa Adriana Melo, em parceria com representantes de outros programas do Governo Federal no município. As experiências bem sucedidas vivenciadas em cada Creche Municipal até o ano passado serão contempladas pelo Projeto Literarte, que abrange programas municipais e federais voltados para a Educação Infantil e norteia as ações que serão desenvolvidas nas instituições de Educação Infantil durante o ano letivo de 2011.

O Projeto foi lançado no dia 2 de fevereiro, em evento que contou com a participação de professores, coordenadores pedagógicos, diretores e monitores da Educação Infantil, além de representantes da Secretaria de Educação

Com informações da Prof. Loiane Medeiros Oliveira Silva

Escola apresenta aos pais o planejamento para 2011

Apostando que a parceria entre família e escola pode melhorar a educação, a direção da Escola Municipal Cora Coralina, de Santo Antônio do Descoberto (GO), fez sua primeira reunião com os pais no dia 11 de fevereiro. Na agenda, a apresentação do planejamento da escola para o ano letivo de 2011 e dos projetos que serão desenvolvidos. Muitos deles foram iniciados no ano passado e terão continuidade devido ao empenho do corpo docente, dos alunos e de suas famílias.

O evento contou com a participação do professor Silas, representante no município do programa pela mobilização na educação, da psicóloga Dra. Raquel, do conselho tutelar e de representantes do Bolsa Família, mostrando que. No município, estão sendo articulados esforços entre vários órgãos em prol da melhoria da educação. A participação dos pais foi expressiva, tendo sido registrados cerca de 90% de comparecimento.

Com informações da Profa. Loiane Silva

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Divulgue as novidades da mobilização

Vamos reforçar a presença da educação em todos os espaços a que temos acesso. Se você está nas redes sociais – Facebook e Twitter – divulgue entre os membros de seus grupos as novidades da mobilização. Basta clicar no ícone correspondente que aparece no final de cada postagem do blog. Lembre-se que “para a educação melhorar, todos devem participar”.

Secretaria Estadual de Educação do Ceará define Agenda Estratégica para 2011/2014



A Secretaria Estadual de Educação do Ceará reuniu seu grupo dirigente – coordenadores de área e coordenadores dos CREDE Coordenação Regional de Desenvolvimento da Educação – para avaliar os resultados das atividades do período 2007/2010 e definir a agenda estratégica de 2011/2014. As principais conclusões foram apresentadas pelo grupo em reunião no dia 21 de março, com a participação de pessoas de diversas áreas, do estado e de outros locais, convidados a compartilhar com a equipe da SEDUC a análise das propostas elaboradas. A agenda leva em conta e as diretrizes e metas do PNE, ora em discussão no Congresso Nacional.

Foram definidos como eixos norteadores da gestão:

  • Educação Básica como vetor de promoção do desenvolvimento pessoal, social e econômico, tendo em vista a construção de um Estado sustentável.
  • Reafirmação de valores e princípios: ética, transparência, participação, respeito pelos servidores, sentido de servir ao público com os serviços essenciais a que tem direito e, num estado de desigualdades tão alarmantes, o compromisso com os mais necessitados.
  • Foco na elevação do nível de aprendizagem dos jovens, das crianças e dos adultos matriculados nas instituições escolares da rede pública do Ceará.

Os objetivos gerais da agenda estratégica são:

  1. Fortalecer o regime de colaboração com foco na alfabetização na idade certa e na melhoria do desempenho até o 5º. Ano.

  1. Garantir acesso e elevar os indicadores de indicadores de permanência, fluxo e desempenho do aluno no Ensino Médio e Fundamental da Rede Estadual.
  2. Diversificar a oferta do Ensino Médio, articulando-o com a educação profissional, o mundo do trabalho e ensino superior.

  1. Consolidar modelos de gestão focados na autonomia escolar e nos resultados de aprendizagem.

  1. Valorizar os profissionais da educação, assegurando a melhoria das condições de trabalho e oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional.

  1. Promover o protagonismo juvenil e empreendedorismo social como premissa da ação educativa.

  1. Fortalecer a escola como espaço de inclusão, de respeito à diversidade e da promoção de cultura e paz.

+ UMA ESTRATÉGIA

Promover o uso intensivo e generalizado de tecnologia de informação e comunicação disponibilizando, também em ambiente virtual, todas as oportunidades de aprendizagem e cooperação ora existentes.

As ESTRATÉGIAS TRANSVERSAIS, que perpassariam muitos dos objetivos, também foram objeto de discussão, tendo sido apontadas:

  1. Comunicação e mobilização
  2. Fortalecimento e ampliação do programa professor diretor de turma
  3. Protagonismo estudantil
  4. Reorganização curricular do Ensino Médio e do Ensino Médio Noturno
  5. Lei de aprendizagem, estágio e primeiro emprego.
  6. Formação continuada e em serviço do professor

Experiências internacionais

Durante o encontro, foram apresentados dois casos de reformas educacionais em outros países, que subsidiaram os trabalhos dos gestores da SEDUC-CE na elaboração da agenda estratégica.

O primeiro deles, tratou da reforma no sistema educacional da província de Ontário, Canadá, que começou em 2003 e já apresenta resultados positivos. Os dois componentes principais da estratégia foram o compromisso de melhorar os resultados de linguagem e matemática no ao nosso ensino fundamental e de aumentar as taxas de conclusão no ensino médio.

O outro caso foi apresentado pela Fundação Itaú Social, com base em estudo produzido pela instituição e pelo Instituto Braudel sobre a reforma educacional de Nova York iniciada em 2003 e ainda em andamento.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Consulta ao IDEB das escolas públicas

Como se sabe, toda escola pública brasileira tem uma nota que vai de 0 a 10. Além da nota, essas escolas têm uma meta a alcaçar de dois em dois anos até 2022, quando o Brasil pretende atingir o mesmo patamar de qualidade em educação dos países desenvolvidos. É muito importante que as famílias, as lideranças e os mobilizadores conheçam as notas e as metas, a fim de acompanhar como a escola de sua comunidade está evoluindo no IDEB.

O programa Educar para Crescer, da Editora Abril, tem um sistema de consulta do IDEB das escolas muito fácil e amigável. Em apenas dois minutos é possível conhecer o Ideb das escolas de 5.550 cidades do Brasil. Além disso, é possível comparar a nota do Ideb entre as escolas, conhecer as metas e as observações sobre cada uma. Vale a pena conferir.

http://educarparacrescer.abril.com.br/nota-da-escola/

Parceria Votorantim pela Educação inova sua metodologia para 2011



O projeto Parceria Votorantim pela Educação retoma os trabalhos com muitas novidades. Para discutir a nova metodologia de atuação, trocar experiências e pensar propostas para 2011, mobilizadores, consultores e equipe do Instituto Votorantim reuniram-se no início deste mês em São Paulo.

O primeiro dia de atividades foi dedicado aos consultores que atuarão no projeto. O time de especialistas, selecionados pela Comunidade Educativa CEDAC e pelo Instituto Votorantim aproveitou a oportunidade para conhecer a metodologia de atuação e os principais desafios a serem vencidos neste ano. Rafael Gioielli, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Votorantim, explicou que todas as novidades apresentadas para este ano foram pensadas a partir do aprendizado dos anos anteriores e têm o objetivo de potencializar o efeito das ações.

A presença dos consultores regionais, que atuarão no suporte aos mobilizadores, é uma estratégia para qualificar ainda mais as ações e potencializar o impacto do Parceria entre os diversos públicos envolvidos. Com o trabalho integrado dos consultores com mobilizadores, a expectativa é que novas propostas de mobilização sejam pensadas e que a atuação junto ao poder público seja fortalecida.

Uma mudança estrutural deve dar “força extra” ao projeto. O cronograma de ações, agora organizado em ciclos, colocará em pauta a cada bimestre um tema-chave que impacta diretamente a qualidade da educação. “Os ciclos devem guiar o trabalho dos mobilizadores, envolvendo públicos diversos em ações alinhadas às temáticas propostas”, explica Amanda Aragão, coordenadora do projeto.

Para 2011, foram planejados quatro ciclos, que devem impulsionar ondas temáticas de trabalho: (i) sensibilização de famílias sobre a importância da educação, (ii) valorização do professor e do magistério; (iii) sensibilização de alunos sobre o valor dos estudos; e (iv) participação da comunidade na escola.

O ponto de partida do projeto deverá ser a reunião de mobilização com agentes-chave – internos e externos. A partir deste encontro, começa-se a formatar um plano de ação, organizado cronologicamente para envolver os diferentes públicos do município. Paralelo ao trabalho com a comunidade, educadores, sociedade civil organizada e funcionários, uma outra frente, voltada especificamente para gestores públicos, terá a missão de apoiar o poder público local na discussão de propostas que impactem a qualidade da educação.

De olho no planejamento

Um projeto só pode ser mensurado quando bem controlado e gerido pela equipe de profissionais envolvidos. Para tal, o Parceria Votorantim pela Educação contará com uma serie de novos mecanismos de controle e indicadores que serão gerenciados pelos mobilizadores e consultores.

Marcelo Nonato, da consultoria responsável pelo projeto, Olhar Cidadão, apresentou as ferramentas. “São documentos simples que devem facilitar o trabalho. Queremos avançar na sistematização de ações e, desta forma, conseguir antecipar problemas e medir com mais precisão o impacto das nossas estratégias”, explicou.

Ao fim do primeiro dia, os consultores participaram de um exercício sobre as motivações do projeto. Maria Maura Barbosa, da Comunidade Educativa CEDAC, conduziu os trabalhos. “A ideia é humanizar o projeto. Pensar além destes instrumentos”, comentou. “Estamos falando de um público [considerando apenas estudantes] de 300 mil pessoas. Nossa tarefa é pensar quem são estas crianças e jovens que estão no fim dessa cadeia e como vamos ajudar a melhorar suas condições de

Hora de pensar a prática

Durante o encontro, os mobilizadores apresentaram experiências e discutiram desafios e expectativas para este ano. Eles trouxeram exemplos de diversas regiões do Brasil e falaram sobre os novos caminhos que o ‘Parceria’ deverá trilhar em 2011.

Luciana Barros Cunha, mobilizadora na região do Vale Paraíba, no estado de São Paulo, comentou que o maior desafio daqui para a frente será potencializar o impacto desta iniciativa. “Queremos engajar um maior número de pessoas, integrando outros projetos de mobilização que atuam no mesmo sentido que o Parceria”, explicou.

Mobilizador na região do Recôncavo Baiano, Roberaldo Galiza, avaliou de forma positiva a chegada dos consultores. “Essa novidade representa um amadurecimento do projeto. Com a orientação técnica, a tendência é avançarmos, uma vez que não temos a profundidade necessária em muitos temas ligados às políticas de educação.”

Com informações do Blog Educação

Seis mil creches serão construídas até 2014

Parceria entre MEC e municípios pode construir seis mil unidades

Prefeituras de todo o país têm o desafio de construir até 2014 seis mil creches e escolas públicas de educação infantil previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2). Ser proprietária e ter o título de domínio do terreno no qual a escola será construída é uma garantia que a prefeitura deve apresentar ao Ministério da Educação para receber recursos do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos da Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância).

As seis mil escolas previstas no PAC-2 estão distribuídas entre as cinco regiões do país, mas têm prioridade as áreas metropolitanas do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, de grande concentração populacional.Elas vão criar 1,2 milhão de vagas, permitindo que as crianças iniciem sua escolarização mais cedo. Estudos diversos têm mostrado que alunos que tiveram acesso à educação infantil tem maiores chances de concluir o ensino médio do que as que entraram na escola apenas no ensino fundamental.

De acordo com dados da Secretaria de Educação Básica (SEB), desde que foi criado, em 2007, o Proinfância já financiou a construção de 2,3 mil escolas de educação infantil. As prefeituras que terminam as construções recebem, mediante convênio com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), R$ 100 mil para aquisição de mobiliário e equipamentos destinados às escolas e creches.

Com informações do Boletim SEB no. 53, de 18/02/11

Ensino fundamental de nove anos alcança todas as redes

As escolas públicas dos 5.565 municípios brasileiros começaram o período letivo deste ano com 100% de implantação do ensino fundamental de nove anos. IAssim, crianças de seis anos de idade têm matrícula assegurada no primeiro ano do ensino fundamental, conforme determina a Lei nº 11.274, de 2006.

Para a secretária de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação, Maria do Pilar Lacerda, a universalização da matrícula aos seis anos é uma conquista, especialmente para as famílias mais pobres, que tinham as menores possibilidades de conseguir vagas para os filhos.

Edna Martins Borges,coordenadora do ensino fundamental da SEB, considera o ingresso das crianças aos seis anos ruma ampliação do direito à educação. “Estando na escola, elas têm um tempo maior para a construção do seu processo de alfabetização.”

O próximo desafio é matricular todas as crianças dos quatro anos de idade aos jovens de 17 anos, para cumprir a determinação da Emenda Constitucional 59, de 11 de novembro de 2009. O prazo é 2016, que também está previsto nas metas do novo Plano Nacional de Educação (PNE).

Com informações do Boletim SEB de 18/02/11

Empresários de Barreirinhas (MA) vão participar da mobilização

Comerciantes e pais de alunos da Unidade Escolar José Serejo de Carvalho, no Povoado de Atins, discutiram com membros do Comitê de Mobilização de Barreirinhas (MA) como participar da mobilização social pela educação. As reuniões ocorreram nos dias 19 e 20 de janeiro e fazem parte das ações itinerantes do Comitê, que vêm ampliando a atuação dos mobilizadores para diversos povoados do município maranhense.

A ação no Povoado de Atins foi conduzida pelos mobilizadores Henrique Bral, José de Assis Diniz Santos, Eliane Silva Costa, Vanusa Santos Silva, Roselena Rocha Santos, Noelle Maria Santos Lisboa, Marluce Costa Moraes Ataíde e Jovana Costa Silva. Com essas ações, os mobilizadores esperam contribuir para melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) das escolas locais.

Para subsidiar as exposições sobre a Mobilização, foram distribuídos aos participantes – em sua maioria pais de alunos e donos de pousadas e restaurantes locais – exemplares da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos e “abanadores”, material confeccionado pelo Comitê com orientações de incentivo à interação família-escola.

Durante todo o evento, os mobilizadores estimularam o debate sobre o conteúdo da Cartilha e esclareceram dúvidas a respeito de como mobilizar família e comunidade escolar em prol da melhoria da qualidade da Educação.

Com informações de Lucia de Fátima Vidal, membro do Comitê de Mobilização de Barreirinhas.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Profissionais da educação são mobilizados em Cuiabá (MT)

Diretores, coordenadores e assessores pedagógicos de escolas públicas municipais de Cuiabá (MT) foram apresentados, na Secretaria Municipal de Educação, dia 2 de fevereiro, à Mobilização Social pela Educação e à cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos. Realizado no auditório Maestro China da Secretaria, o encontro dos educadores reuniu cerca de 150 participantes e teve como objetivo orientar os gestores a contribuírem com a interação família-escola.

A exposição do conteúdo da cartilha e do Plano de Mobilização foi conduzida pela mobilizadora Marilza Lopes, presidente regional do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB) em Mato Grosso. Além de tomar conhecimento sobre a Mobilização pela Educação, por meio da distribuição de exemplares da Cartilha, os participantes debateram formas de incentivar as famílias de suas comunidades escolares a participarem mais das atividades propostas pelas unidades de ensino.

Como resultado do contato estabelecido com os educadores durante o encontro, vêm sendo programadas reuniões nas escolas públicas de Cuiabá para a sensibilização das famílias a respeito da importância do envolvimento dos pais no cotidiano escolar dos filhos. Para a primeira quinzena de março, já foram agendadas reuniões com os pais de alunos nas Escolas Municipais de Educação Básica Marechal (EMEB) Cândido Mariano da Silva Rondon, Nossa Senhora Aparecida, Tancredo de Almeida Neves e Maria Eunice Duarte de Barros.

Com informações de Marilza Lopes, mobilizadora em Cuiabá.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Ilhéus (BA) forma Comitê de Mobilização

Mais de 70 participantes, entre professores de escolas públicas, agentes comunitários de saúde, membros do Conselho Tutelar, representantes de empresas, de instituições religiosas e da Secretaria Municipal de Educação  estiveram reunidos na Câmara de Vereadores de Ilhéus, no dia 10 de fevereiro, para anunciar a composição do Comitê de Mobilização do município. Com a instalação do Comitê, os mobilizadores locais pretendem fortalecer e ampliar as ações de Mobilização pela Educação em Ilhéus e região.

Para compor a mesa de abertura do evento, foram convidados os representantes do Conselho de Acompanhamento do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) de Ilhéus, Osman Nogueira e Roberto Corsário,  além do membro da Federação das Associações de Moradores de Ilhéus (FAMI), Marcos Lessa; do representante da Diretoria Regional de Ensino (Direc), Ednei Mendonça; da promotora Karina Cherubini, representando o Ministério Público; e da integrante do Conselho Municipal de Educação de Ilhéus, Gilvânia Nascimento.

A mesa foi composta, ainda, pelo representante da equipe da Mobilização Social pela Educação no Ministério da Educação, Otto Medina.  Em sua exposição, Otto Medina apresentou os principais pontos do Plano de Mobilização Social pela Educação (PMSE) e fez um panorama da Educação no País, enfatizando a importância de indicadores como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Além dos números da realidade educacional do País, os mobilizadores receberam informações sobre como o Comitê pode implementar o PMSE junto à comunidade para incentivar a interação família-escola e contribuir com a evolução do Ideb na região. Ao fim do evento, os participantes esclareceram dúvidas a respeito dos temas abordados e trocaram experiências.


Confira abaixo a composição do Comitê de Mobilização de Ilhéus: 

  • Antonio Eduardo Citron – ACEAI - a.e.citron@globo.com
  • Ariel Figueroa – Coluna de Turismo – colunadeturistmo@gmail.com
  • Arnaldo Alves de Abreu – Associação
  • Aurea Diva – Professora
  • Carmelita Angela S. Oliveira – professoracarmelita13@gmail.com
  • Daine Santos de Santana – Educação Dengue – daianecos@hotmail.com
  • Ednei Mendonça Oliveira – Diretoria Regional de Educação – edneimendonça@yahoo.com.br
  • Edson Santos Vieira – MNU – ziltotentino@bol.com.br
  • Eduardo José – Igreja Evangélica
  • Enilda Mendonça de Oliveira – APPI – enilda_mendonça@hotmail.com
  • Gilvania Nascimento – CME – gilconasci@yahoo.com.br
  • Gutemberg de Jesus Oliveira – Associação de Agente Comunitários da Saúde – gutemberwc@hotmail.com Carlos Cesar Santos de Souza – cess@folha.com.br
  • Heleny Chaves da S.Alves – Educação Dengue – heleny_chaves@hotmail.com
  • Ivo Evangelista dos Santos – Centro de Ação Comunitária – obreiroivo@hotmail.com
  • Jaciara da S. Santos – APPI - jaciaraamiga23@hotmail.com
  • Jacqueline Almeida – Professora – jackalmeida_jck@hotmail.com
  • Jaílson Teles da Silva - CEEP - teacher_teles@hotmail.com
  • Jalba Santiago dos Santos – Polícia Militar – cpm68.spo@pm.ba.gov.br
  • Jane Borges do Nascimento – ONG (CEDHES) –
  • Joabs Sousa Ribeiro – Advogado – ribeiroilheus@hotmail.com
  • Jorege Luiz Santos – FUNASSA – jorgeluizdires@yahoo.com.br
  • Jurandir Teles – SAPHOS/CMSI/FOBONG – telesmattarazzo@hotmail.com
  • Lais Lacerda – Centro Comunitário Nossa Senhora da Conceição – prolais@hotmail.com
  • Lidiney Campos – SEDUC – lidineycampos@hotmail.com
  • Lucas Sousa Galindo – lucas.galindo@bol.com.br
  • Mara Cristiane Setúbal – Professora – marasetubal@ig.com.br
  • Marcos A. Lessa dos Santos – FAMI/FAMEB/CMDCA – fami.ilheus@yahoo.com.br
  • Maria da Glória Santos – Assembléia de Deus – gloriaeze_love@hotmail.com
  • Maria de Fátima F. de Souza - fatimasouza51@hotmail.com
  • Maria Izabel – CMDCA
  • Marlene de Santos – Conselo Tutelar
  • Nilton Santos Araújo – Associação de Bairro – minhoaraujo1@hotmail.com
  • Nilza Maria C. Lima – nilzalima10@bol.com.br
  • Odailson Lelis Aranha – Associação de Moradores do Hernani Sá – odailsonpequeno@hotmail.com
  • Osman Nogueira – FUNDEB – osmannogueira@yahoo.com.br
  • Paula Regina - MATER/CMDM –
  • Roberto Jesus Corsário - robertocorsario@hotmail.com
  • Sandra R. Brasil do Santos  - Conselho Tutelar -
  • Sara Miriam Lemos – Coordenadora – saraeducar@hotmail.com
  • Selma T. Estrela – APPI – semaestrela6@hotmail.com
  • Silvana de Oliveira Penna – SEDUC
  • Silvandira Caldeira- CMSI – caldeiratia@hotmail.com
  • Soraya Lisboa – soraya.lisboa@hotmail.com
  • Teresinha Zélia – SESSAB/SSAUDE – tzelia@yahoo.com.br
  • Valdec Francisco de Souza – Igreja Batista – valdecv@hotmail.com

Mobilização avança na capital paulista

Mobilizadores do bairro de Itaberaba, na zona noroeste de São Paulo (SP), vêm divulgando a mensagem da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos às famílias da comunidade. Neste mês de fevereiro, instituições religiosas e escolas públicas do bairro são o foco das ações.

Entre as instituições alcançadas, a Mobilização Social pela Educação foi apresentada na Escola Municipal de Educação Infantil Olavo Bilac, no dia 4 de fevereiro. Organizada pela mobilizadora e professora de Educação Infantil Darialva da Graça Linge, a atividade teve como objetivo conscientizar pais de alunos da unidade de ensino a respeito da importância da interação família-escola para a melhoria da qualidade da educação.

No dia 6 de fevereiro, a mobilizadora Darialva, que também atua como coordenadora da Pastoral da Crisma na Igreja de Santa Cruz em Itaberaba, conversou sobre Mobilização com pais de jovens crismandos da entidade religiosa. Durante o encontro, a mobilizadora orientou os familiares sobre como participar do cotidiano escolar dos filhos e contribuir, assim, para um melhor aproveitamento do ensino oferecido pelas escolas do bairro.

Com informações de Darialva da Graça Linge, mobilizadora em São Paulo (SP).

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Comitê de Bauru realiza planejamento de ações

Membros do Comitê de Mobilização de Bauru (SP) vão se reunir nesta quinta-feira, 17 de fevereiro, para programar as atividades a serem desenvolvidas junto à comunidade em 2011. Com a reunião, os mobilizadores visam dar prosseguimento às ações de conscientização sobre a importância da interação família-escola que já vinham sendo promovidas pelo Comitê no município, bem como estabelecer novas metas para este ano.

Durante o encontro, além do planejamento de ações, será apresentado um panorama da atuação do Comitê desde sua criação, em 2009. O evento abrirá espaço, ainda, para avaliar a participação dos mobilizadores bauruenses no Encontro Nacional de Lideranças, realizado em dezembro de 2010 em São Bernardo do Campo.

Entre as metas a serem alcançadas em 2011, os mobilizadores de Bauru pretendem ampliar e incentivar a ação dos Conselhos Escolares por meio do Projeto de Implantação e Fortalecimento dos Conselhos de Escola da Rede Municipal. O projeto será apresentado na reunião desta quinta-feira pela assessora da Secretaria Municipal de Educação de Bauru, Rayra de Carvalho Costa César Pinto.

A reunião marcará, também, o reinício das atividades de Mobilização nas escolas públicas, entidades religiosas e outras instituições parceiras do Comitê local.

Serviço

Reunião do Comitê de Mobilização de Bauru
Data: 17 de fevereiro de 2011
Local: Rua Felício Soubihe 2-65, Jardim Planalto (próximo ao Bauru Shopping Center, uma rua antes do Flipper Lanches)
Horário: 20h

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Mobilizadores de Piracicaba (SP) divulgam mensagem da Cartilha

Mobilizadores da Parceria Votorantim pela Educação em Piracicaba, interior de São Paulo, reuniram-se com famílias do município para apresentar e discutir o conteúdo da Cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos. O encontro com os pais foi realizado na Associação Guarda Mirim Municipal de Piracicaba e integrou as atividades do evento conhecido como “Semanão”, promovido em janeiro deste ano.

Durante o “Semanão” de Piracicaba, realizado anualmente, são desenvolvidas atividades de interesse de jovens e familiares que contam com a participação de especialistas em diversas áreas, inclusive Educação. A palestra sobre Mobilização Social pela Educação e a exposição do conteúdo da cartilha foram conduzidas por Teresa Blasco, mobilizadora e consultora de sustentabilidade da Fibria, empresa controlada pelo Grupo Votorantim.

De acordo com Teresa Blasco, a participação dos mobilizadores no evento foi muito proveitosa. “Oportunidades de mobilização como esta são muito valiosas, afinal nem sempre conseguimos reunir tantas pessoas para debater um tema tão essencial como é a educação”, pondera a mobilizadora. 

Primeira versão da cartilha é a preferida dos mobilizadores

A  primeira versão da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos foi escolhida como a preferida dos leitores do Blog da Mobilização na enquete encerrada ontem, dia 13 de fevereiro. A versão mais antiga da cartilha, com ilustrações do cartunista Ziraldo, obteve 164 votos e 64% da preferência dos mobilizadores.

Como o Ministério da Educação ainda não havia definido a versão a ser usada na impressão dos novos lotes, o objetivo da enquete foi o de sugerir aos parceiros e demais interessados qual modelo encaminhar para impressão. Ressaltamos, no entanto, que ambas versões continuarão a ser disponibilizadas neste Blog e podem ser impressas e utilizadas pelos mobilizadores a qualquer tempo.

Acesse aqui os arquivos da primeira cartilha da Mobilização:

Saiba mais sobre as duas versões da Cartilha.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Presidenta Dilma Rousseff convoca sociedade a se mobilizar pela educação


“Nenhuma área pode unir melhor a sociedade que a Educação.
Nenhuma ferramenta é mais decisiva do que ela para
superarmos a pobreza e a miséria. Nenhum espaço pode realizar
melhor o presente e projetar com mais esperança o futuro do que
uma sala de aula bem equipada, onde professores possam
ensinar bem, e alunos possam aprender cada vez melhor.
É neste caminho que temos que seguir avançando com passos largos”.

Dilma Rousseff, presidenta do Brasil


A presidenta Dilma Rousseff dedicou o seu primeiro pronunciamento pela televisão, ontem, dia 10 de fevereiro, a reafirmar o compromisso de seu governo com a educação de qualidade para todos. E deu grande ênfase à importância de a sociedade se mobilizar para o alcance desse compromisso. Dizendo que esta é a grande hora da educação brasileira, destacou que sua concretização “só será possível se cada pai, cada aluno, cada professor, cada prefeito, cada governador, cada empresário, cada trabalhador tomar para si a tarefa de acompanhar, discutir, cobrar, propor e construir novos caminhos para a nossa Educação. Como Presidenta, como mãe e avó, darei tudo de mim para liderar esse grande movimento”. 
 
Ela lembrou o bom momento que o país está vivendo destacando, porém, que ele traz “uma imensa necessidade de darmos um grande salto na qualidade do nosso ensino. Um desafio que só será vencido se governo e sociedade se unirem de fato nesta luta, com toda a força, coragem e convicção”.
 
A presidenta falou também da necessidade de investir mais na formação e remuneração de professores, de ampliar o número de creches e pré-escolas em todo o país, de criar condições de estudo e permanência na escola, para superar a evasão e a repetência. “E, muito especialmente, acabar com essa trágica ilusão de ver aluno passar de ano sem aprender quase nada”.

Concluiu a mensagem, reafirmando que a luta mais obstinada de seu governo será o combate à miséria, que necessitará, dentre várias medidas, especialmente, melhorar a qualidade do ensino, “pois ninguém sai da pobreza se não tiver acesso a uma educação gratuita, contínua e de qualidade. Nenhum país, igualmente, poderá se desenvolver sem educar bem os seus jovens e capacitá-los plenamente para o emprego e para as novas necessidades criadas pela sociedade do conhecimento”.

País rico é país sem pobreza. Este será o lema do novo governo para, segundo a presidenta Dilma, alertar permanentemente ao governo e a toda a sociedade que só realizaremos o destino de grandeza do Brasil quando acabarmos com a miséria. E para que “a única fome neste país seja a fome do saber, a fome de grandeza, a fome de solidariedade e de igualdade. E para que todos os brasileiros possam fazer da educação a grande ferramenta de construção do seu sonho”.

Vale a pena ler o pronunciamento completo. Clique aqui.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Professores universitários são mobilizados em Pirenópolis (GO)

Professores da Unidade da Universidade Estadual de Goiás (UEG) em Pirenópolis foram apresentados, durante o II Encontro Pedagógico da Unidade, à Mobilização Social pela Educação. O evento, promovido de 1º a 4 de fevereiro, teve como objetivo realizar o planejamento da instituição para o ano letivo de 2011.

Além de apresentar o Plano de Mobilização Social pela Educação aos participantes, a palestrante Selma D’Abadia Oliveira, membro do Comitê de Mobilização de Pirenópolis, convidou os professores e demais presentes a se integrarem à Mobilização. Selma orientou os educadores a atuarem em diversos contextos -- em sala de aula, junto às comunidades em que estão inseridos e, principalmente, como pais de alunos das escolas públicas de Pirenópolis. Os mobilizadores abriram espaço, ainda, para a participação dos professores universitários nas atividades do Comitê local.

Entre os materiais utilizados pelos mobilizadores em suas ações, os professores receberam exemplares da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos e do “abanador” confeccionado pela unidade da UEG, que contém as metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) a serem alcançada pelas escolas do município em 2011.

Com informações da mobilizadora Selma D'Abadia Oliveira, membro do Comitê de Pirenópolis (GO)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Educar para Crescer traz dicas que incentivam a participação dos pais na escola

O site do Projeto Educar para Crescer, iniciativa do Grupo Abril em parceria com o Ministério da Educação, sugeriu 10 perguntas que os pais de alunos devem fazer aos professores para  participarem mais do cotidiano escolar dos seus filhos. Por meio de perguntas simples, como “Meu filho participa das aulas?” e “Como ajudar nas tarefas?”, os familiares dos alunos podem tomar conhecimento sobre a realidade escolar de crianças e adolescentes e contribuir para um melhor aproveitamento do ensino.

Confira abaixo algumas das perguntas que os pais podem fazer aos professores, seguidas de comentários de especialistas na área:

  • Meu filho participa das aulas?
É importante saber se a criança tem feito as lições propostas em classe e participado das atividades. Independente da faixa etária, a participação indica o envolvimento do aluno. "O professor pode dizer se a criança demonstra curiosidade ou se é apática", explica Ana Inoue, coordenadora do Instituto Acaia, em São Paulo (SP).

Professores de crianças maiores podem ser perguntados sobre o interesse que os jovens demonstram -- ou não -- nas aulas. "Participar ativamente, fazendo e respondendo perguntas, evidencia o potencial de aprendizagem do estudante", completa Ana.
  • Como posso me integrar à escola?
O professor explicará se a escola tem associações de pais e como aderir a elas. Além disso, falará sobre outras formas de inclusão da família na escola -- muitas têm projetos no contraturno e no fim de semana que envolvem toda a comunidade. O programa Tempero de Mãe, desenvolvido na rede municipal de Sud Menucci, no interior paulista, é um exemplo: envolve mães na preparação da alimentação escolar e por tabela, no dia-a-dia da escola. As candidatas são selecionadas, contratadas e remuneradas pela Associação de Pais e Mestres (APM).

Você também pode apoiar a abertura da escola do seu filho para a comunidade, organizar e participar de atividades extra-classe que acontecerem nas dependências da escola. "Se você é bom em música, por exemplo, ofereça ajuda" afirma Luciana Fevorini. A psicóloga alerta, porém, para a possibilidade de pais ocupados se sentirem discriminados e isso gerar conflitos com a escola. "A família pode ajudar, mas os professores não podem contar com isso".
  • Como ajudar nas tarefas?
Algumas crianças, por força do hábito, só fazem o dever na companhia de um adulto. Nesse caso, os pais podem acompanhar a lição, claro, supervisionando a atividade e, assim, estimulando a autonomia. "A família não pode fazer a tarefa pela criança, jamais", ressalta Carmen Galuzzi.

Quando os pais não têm condições de ajudar na lição -- e não importa se o motivo é a falta de tempo ou o desconhecimento --, não há motivo para vergonha. Devem pedir orientações mais claras à escola e até contarem seus problemas, dizendo com franqueza que nunca aprenderam determinados assuntos. Mesmo porque os métodos mudaram muito, a começar pela alfabetização, com a substituição das velhas cartilhas por sistemas considerados mais modernos. Outro motivo comum é a dificuldade de alguns pais com pesquisas pelo computador. Se não puder ajudar, o melhor é informar a escola. Seu filho só tem a ganhar com isso -- e você pode tentar aprender o que não teve oportunidade de estudar antes.
  • Como é a comunicação entre a família e a escola?
Saber a melhor forma de se comunicar com a escola e também como ela vai responder é fundamental. Assim, dá para entender como a escola se relaciona com os pais, com que freqüência organiza reuniões, como notifica problemas e até como procede em caso de acidentes. "A família precisa saber a quem recorrer e como agir diante de brigas do seu filho com colegas, dificuldades de entendimento da matéria, entre outros", diz a psicóloga Ana Inoue. A comunicação pode ser feita via agenda, bilhetes ou telefone. "Mesmo assim, os pais podem ligar para escola quando acharem necessário", diz Luciana.

Leia todas as perguntas e saiba mais no site do Educar para Crescer:
10 perguntas que os pais devem fazer aos professores

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Escola de João Pessoa (PB) aposta na mobilização social para melhorar Ideb

Representantes do Comitê de Mobilização de João Pessoa apresentaram a mobilização social a professores e gestores da Escola Municipal de Ensino Fundamental Francisca Moura, da capital paraibana. O convite foi feito pela professora Fátima Lopes, orientadora educacional da escola, que incluiu a palestra na programação de atividades para planejamento do ano letivo de 2011.

Ao convidar o Comitê para conversar com os profissionais da escola, a EMEF Francisca Moura reconhece a Mobilização Social pela Educação como aliada para superar as dificuldades enfrentadas pela instituição. Com o apoio do Comitê de João Pessoa e seguindo as orientações contidas no Plano de Mobilização Social pela Educação (PMSE), a EMEF Francisca Moura espera alcançar, em 2011, melhores resultados no Ideb e na avaliação realizada pela Secretaria Municipal de Ensino de João Pessoa. 

O índice está hoje em 3,1, nos anos finais do ensino fundamental, em uma escala que vai de 0 a 10 e abaixo do IDEB do país, que é hoje de 3,6. Mesmo tendo aumentado em 2009, há uma expectativa de que a escola supere a média nacional, o que, na avaliação da professora Fátima Lopes, depende muito da parceria família-escola. 

Gestores, técnicos, professores, auxiliares administrativos e integrantes do Conselho Escolar, estiveram presentes no encontro de planejamento da EMEF e receberam as orientações dos mobilizadores sobre como promover a aproximação com as famílias dos alunos e com a comunidade local. A palestra foi conduzida pelos membros do Comitê de João Pessoa Azimar Fernandes, Mercês Holanda e José Martins. 

Para dar início às atividades em parceria com a EMEF, os mobilizadores da capital paraibana programam, ainda para o mês de fevereiro, roda de conversa com os pais de alunos da unidade de ensino. 

Com informações de Azimar Fernandes, membro do Comitê de Mobilização de João Pessoa (PB).

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Famílias do povoado Olho d’Água dos Bentos (MA) são apresentadas à Mobilização

Com o intuito de divulgar a mensagem da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos a um número cada vez maior de famílias, o Comitê que atua no município maranhense de Barreirinhas promoveu, no povoado de Olho d’Água dos Bentos, sua terceira ação itinerante. A ação, realizada no dia 19 dezembro de 2010 na Escola Municipal de Ensino Básico – Unidade Integrada (UI) Archer da Silva, propiciou o diálogo entre pais de alunos e educadores e apresentou a Mobilização Social pela Educação à comunidade.

Conduzida pelos integrantes do Comitê de Barreirinhas José de Assis Diniz Santos, Evanilson dos Santos Silva, Marluce Ataíde e Roselena Rocha Santos, a palestra teve como objetivo incentivar os pais presentes a participarem do cotidiano escolar dos filhos, sensibilizando família e comunidade sobre a importância da interação família-escola para a melhoria do aproveitamento do ensino. A atividade contou com a participação, ainda, do prefeito de Barreirinhas, Albérico Filho, que teve a oportunidade de conhecer o trabalho desenvolvido pelos mobilizadores locais. 



Durante todo o evento, os mobilizadores abriram espaço para perguntas e esclareceram diversas dúvidas dos presentes sobre o conteúdo da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos. “O público questionou bastante e cada um dos palestrantes em atividade teve a oportunidade de explicitar minuciosamente a cada questionamento ora feito por pai, ora por mãe”, relata a  secretária adjunta de Educação e mobilizadora Lucia de Fátima Vidal.

Para subsidiar a atividade, os participantes receberam, além de exemplares da Cartilha, um “abanador”, material elaborado pelo Comitê de Barreirinhas que contém orientações retiradas da Cartilha da Mobilização.

Última semana para participar da enquete "Qual versão da cartilha você prefere?"

Os leitores do Blog da Mobilização que ainda não votaram em sua versão preferida da Cartilha  Acompanhem a vida escolar dos seus filhos têm até este domingo, dia 13 de fevereiro, para dar sua opinião. Para responder, basta clicar na opção escolhida na enquete que se encontra no menu à esquerda.

A partir do resultado da enquete, será definido o modelo que deverá ser encaminhado para impressão pelo Ministério da Educação e por parceiros da Mobilização. Participe!

Clique aqui e saiba mais sobre as duas versões da cartilha.

Leia mais sobre a enquete.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Em Bagé escolas mobilizam famílias dos alunos

Membros do Comitê de Bagé, Rio Grande do Sul, em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação, vêm incentivando profissionais que atuam em escolas públicas da Zona Leste da cidade a se reunirem para discutir as atividades de Mobilização a serem desenvolvidas junto às suas comunidades. Realizada na Escola Municipal de Educação Infantil João de Deus Lima Galvão, a primeira reunião das escolas da Zona Leste, promovida no dia 2 de dezembro de 2010, contou com a presença de representantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria de Lourdes Molina e da EMEI Iria de Jesus Machado.

Para a realização de atividades na Zona Leste de Bagé, os mobilizadores contam com o apoio do presidente da Associação do Bairro, de representantes da Casa da Família, do Círculo de Pais e Mestres, do Posto de Saúde e dos Supermercados Nicolini. Esses parceiros contribuíram, ainda, para a elaboração do plano de ação a ser aplicado junto às escolas da região em todo o ano de 2011.


Com informações de Simone Jacinto da Conceição, mobilizadora em Bagé (RS).