sexta-feira, 29 de julho de 2011

Municípios potiguares preparam-se para a Semana Estadual de Mobilização Social pela Educação

Estudantes da UERN receberam o convite para a Mobilização
O Rio Grande do Norte (RN) vai comemorar a primeira Semana Estadual de Mobilização Social pela Educação no período em que incidir a data de 19 de setembro. Educadores, gestores públicos da educação, famílias, estudantes de escolas públicas, lideranças sociais e religiosas de diversos municípios vêm recebendo o convite, dos membros do Comitê de Mobilização Social pela Educação que atuam na região metropolitana de Natal, para participar das atividades alusivas ao tema.

A programação do período deverá destacar a sanção, por parte da governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini Rosado, ocorrida em 14 de julho de 2011, da primeira lei do país que institui o Dia Estadual de Mobilização Social pela Educação. A Lei n.º 9.503 foi publicada na edição de n.º 12.501 do Diário Oficial do Estado, no dia 15 de julho.

Vera Cruz

Verônica Azevedo explica as ações de Mobilização em Vera Cruz
Nesta quinta-feira, 28 de julho, os mobilizadores de Natal visitaram a cidade de Vera Cruz, a 37 quilômetros de Natal, a convite da secretária municipal de Educação, Fátima Viegas, para divulgar, em atividade realizada na Escola Municipal Filomena Cúrsio Cabral, a importância da interação família-escola-comunidade para a melhoria da qualidade da educação.

Participaram do encontro os professores, os funcionários e a gestora da unidade de ensino, Luciana da Silva Ferreira, a técnica da Secretaria de Educação, Verônica Pereira de Azevedo e os alunos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que desenvolvem o programa Trilhas Potiguares.

Ione Freitas e Luciana Ferreira
Durante a atividade em Vera Cruz, a mobilizadora Ione Campos Freitas ressaltou a importância da garantia de participação dos representantes do município na programação da Semana Estadual de Mobilização Social pela Educação. Ione também lembrou a contribuição que cada integrante da comunidade escolar pode oferecer na busca por um ensino de qualidade. Estimulou, ainda, a promoção de iniciativas locais de incentivo à participação dos pais na vida escolar dos filhos, para a melhoria do aproveitamento do ensino.

Lages

No dia 24 de junho, foi a vez do município de Lages, a 125 quilômetros de Natal, receber a visita de um mobilizador. O gerente de Responsabilidade do Social do Serviço Social da Indústria (SESI/RN), Marcelo Dantas, que colabora com as ações do Comitê Natal, divulgou a importância da interação família-escola-comunidade durante as atividades do Programa Criança 2000. Ao longo da programação realizada em Lages, Marcelo Dantas distribuiu exemplares da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos e conversou com as famílias a respeito da importância da atenção dispensada à trajetória de estudos de crianças e adolescentes.

Com informações de Ione Campos de Freitas, representante do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Natal

Inscrições para Concurso Tempos de Escola vão até 15 de agosto

Alunos de escolas públicas dos municípios que integram o projeto Parceria Votorantim pela Educação podem se inscrever, até 15 de agosto, na 3ª edição  do Concurso Tempos de Escola. A competição, que avalia redações produzidas pelos estudantes, é desenvolvida em conjunto pelo Instituto Votorantim, Ministério da Educação e Canal Futura.

Como indica o próprio nome do concurso, o Tempos de Escola busca estimular nos alunos a produção de textos que mostrem as histórias, vivências, aprendizados, conquistas e desafios que a escola pode proporcionar às pessoas. O objetivo é sensibilizar os estudantes sobre a importância da dedicação e valorização dos estudos para o desenvolvimento pessoal e da sociedade. 

A edição deste ano traz algumas novidades. Uma delas é a criação da categoria Ensino Fundamental I, voltada para alunos do 3º ao 5º ano, ampliando, assim, o número de estudantes que serão sensibilizados com o concurso. Outra mudança é a escolha de temas diferentes, que valorizam a escola e a educação, para cada uma das três categorias: Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio.

Os autores das melhores redações de cada município, separadas por categorias, receberão como prêmio bicicletas, câmeras digitais, netbooks, entre outros prêmios. Os professores orientadores e a direção das escolas vencedoras também serão homenageados, recebendo como prêmio um kit de materiais pedagógicos e uma senha de acesso à plataforma FuturaTec, espaço virtual em que estão disponíveis as diversas produções educativas elaboradas pelo Canal Futura.

O Concurso Tempos de Escola premiará, ainda, como Destaques Nacionais, os autores dos três melhores textos, sendo um por cada categoria. Cada aluno vencedor e seu respectivo professor orientador receberão um computador de presente. Além dos prêmios mencionados, os alunos terão seus textos publicados em livro coletivo a ser lançado em 2012.

Como participar

Para participar, os estudantes devem enviar o texto e preencher a ficha de inscrição disponível na página do concurso. O prazo para se inscrever vai até 15 de agosto de 2011. Os vencedores devem ser anunciados até 6 de outubro no Blog Educação, após seleção por comissão julgadora.

A lista de municípios participantes e demais informações podem ser encontradas no Regulamento do Concurso.

Com informações do Blog Educação.

Censo Escolar

Prazo para que escolas enviem as informações é 14 de agosto

Os gestores escolares de instituições públicas e privadas têm prazo até 14 de agosto para enviar as informações do censo escolar 2011. As escolas que não fornecem os dados ficam impossibilitadas de participar de diversos programas do Ministério da Educação, como o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), a Alimentação Escolar, a distribuição de livros didáticos, o Dinheiro Direto na Escola, o Mais Educação, o Plano de Ações Articuladas (PAR), entre outros.

Realizado todos os anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o censo é uma pesquisa realizada junto aos estabelecimentos de ensino para levantamento de dados e informações relativas à educação básica, com o objetivo de subsidiar a elaboração de análises, diagnósticos e planejamento do sistema educacional do país. Políticas públicas que promovam um ensino de qualidade para todos os brasileiros serão definidas e monitoradas a partir desses dados.

Este ano, não haverá prorrogação do prazo de envio dos formulários, segundo o coordenador geral do Sistema Integrado de Informações Educacionais, Carlos Eduardo Moreno Sampaio. “As escolas precisam cumprir rigorosamente essa data (14 de agosto) para que possam participar da Prova Brasil. Elas deverão informar, entre outros dados relevantes, os alunos matriculados no quinto ano e no nono ano, que são as crianças que participarão da Prova Brasil.”

Além do uso por parte das diferentes instâncias de governo, o censo escolar é ferramenta indispensável para que os diversos atores educacionais e a sociedade em geral possam conhecer a situação educacional do país, dos estados, municípios e escolas e acompanhar a efetividade das políticas públicas.

Coleta de Dados - Os dados são coletados por meio de um sistema de acesso via internet, o Educacenso. Os sistemas de ensino, estaduais ou municipais, que possuem sistemas próprios de coleta podem migrar os dados para o banco de dados do lnep. O Educacenso é um sistema amigável, de fácil operação e com funcionalidades que permitem avaliar em tempo real a consistência das informações prestadas.

Por: Diego Rocha para Portal MEC

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Mobilizadores de Bauru conduzem debate sobre interação família-escola em Fórum de Educação

Educadores na dinâmica sobre Mobilização Social pela Educação
“Mobilização Social pela Educação: Perspectivas e Desafios” foi o tema da mesa de debate conduzida por representantes do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Bauru, no estado de São Paulo, durante o IX Fórum Regional de Educação Popular do Oeste Paulista – VI Internacional (FREPOP), evento realizado no Centro Universitário de Lins (UNILINS), de 19 a 23 de julho.  Além de professores, gestores escolares e pedagogos, a atividade contou com a participação de estudantes e profissionais da área da Saúde de diversas regiões do País. 


Durante a mesa de debate, as mobilizadoras Rosimeire de Freitas Roveda e Maria Teresa Turtelli divulgaram o Plano de Mobilização Social pela Educação e expuseram as ações desenvolvidas pelo Comitê de Bauru com o intuito de aproximar os profissionais da escola, as famílias e a comunidade para que, em conjunto, desenvolvam atividades que visem à melhoria da qualidade do ensino público oferecido na região do município.


Educadores e estudantes acompanham exposições.
A programação do FREPOP ainda contou com outra exposição conduzida pela professora Maria Salete Genovez, também com participação de Teresa Turtelli, e que colocou em discussão “O papel pedagógico e as competências do professor na sociedade atual”. Estudantes universitários de diversas áreas acompanharam a apresentação.

Com informações de Rosimeire de Freitas Roveda, representante do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Bauru (SP).

Respeito à cultura e saberes da comunidade ajuda na interação família-escola

Um dos pontos mais discutidos nas oficinas de capacitação de mobilizadores, especialmente naquelas com grande número de gestores educacionais e professores, é a necessidade de conhecer e respeitar a cultura do aluno, de sua família e de seu contexto social. Esse é um dos caminhos para ajudar a melhorar a capacidade de aprender, uma vez que a incorporação de saberes com os quais a criança – e o jovem também – convive desde seu nascimento ajuda a dar sentido ao que se quer ensinar. 

O educador mineiro Tião Rocha tem vários exemplos de práticas educacionais bem sucedidas partindo desse princípio. Uma delas, bem conhecida, é a história da alfabetização de crianças no Vale do Jequitinhonha (MG) usando como recurso o “biscoito espremido”, tradição da culinária local. Por essa razão, ele recomenda aos professores que é preciso “levar o aluno a procurar a cultura popular primeiro dentro de casa, depois na rua e depois no bairro e a considerar todas essas informações como base para um projeto de educação”.

No Sertão do Pajeú, berço da poesia em Pernambuco, oficina de capacitação é encerrada com glosa 

Participantes da Oficina em Tabira (PE)
Na recente oficina em Tabira, PE, promovida pela secretaria municipal de educação local, muito se falou sobre Tião Rocha. E, estimulados por essas e outras reflexões, os participantes deram muitos exemplos de atividades que, incorporando aspectos importantes da cultura local, poderiam ajudar a aproximar família e escola. 

O Sertão do Pajeú, onde ficam localizados os municípios de Tabira e de Serra Talhada, Solidão, Carnaíba, Itapetim e Ingazeira, que também participaram da oficina, é chamado de berço da poesia. Lá, a criança aprende, desde pequena, a improvisar a poesia na hora, tendo como mote um acontecimento importante. Durante todo o ano há vários eventos reunindo os principais poetas que não apenas declamam seus poemas, mas, também, participam do que lá é conhecido como glosa. As mesas de glosa reúnem os melhores que, apresentados a um tema, improvisam sobre ele e vão respondendo ao que o outro recitou. Em algumas regiões do Brasil são conhecidos como repentistas, que se desafiam para deleite da plateia. Em alguns casos e regiões, os desafios são cantados ao som da viola. 

Nada mais natural, nesse contexto, que vários grupos que se formaram para elaborar planos de mobilização para suas comunidades, tenham incluído a realização de atividades contemplando mesas de glosas com os pais e familiares. Uma das propostas é de que eventos importantes no calendário municipal, como semanas de mesas de glosas, incluam o tema interação família-escola-comunidade para os glosadores se desafiarem. 

Para não fugir à tradição, um dos participantes da oficina, o poeta glosador Adeval Soares, encerrou a apresentação do plano de ação de seu grupo com um poema criado na hora:

Somos todos convidados
a convidar os demais:
sindicatos – grupos – ONGS,
todos meios sociais.
Igrejas e autoridades
Pastorais e entidades:
religiosos, civis.
Todo mundo dando a mão
para a edificação
da educação do País.
Vamos nos organizar
com sensibilização,
Juntos, nessa caminhada
para a mobilização
Mobilizar, de verdade,
a nossa sociedade
é tarefa essencial.
Pois, a luz da educação,
necessita da junção
do trabalho social.

 

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Seduc de Praia Grande (SP) incentiva interação família-escola-comunidade

Marca do projeto de Pedagogas Comunitárias
Famílias de alunos, profissionais de educação, estudantes, lideranças religiosas, comerciantes e representantes de segmentos sociais das imediações da Escola Municipal Luzia Borba Ranciaro, em Praia Grande, São Paulo, vão participar, nesta quinta-feira, 28 de julho, da atividade de divulgação sobre a Mobilização Social pela Educação. O evento será realizado na própria unidade de ensino e as exposições sobre o tema serão conduzidas pelas mobilizadoras que compõem o grupo de Pedagogas Comunitárias da Secretaria Municipal de Educação (Seduc/Praia Grande).

A atividade na Escola Municipal Luzia Borba Ranciaro integra o Plano de Ação elaborado pelos mobilizadores de Praia Grande após participação do grupo, no mês de abril, na Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação. O planejamento de atividades resultou no calendário de eventos definido pelas pedagogas e que vem sendo colocado em prática desde o dia 23 de julho. O cronograma prevê reuniões, até o mês de outubro, com o objetivo de incentivar a interação família-escola-comunidade em mais de 20 bairros do município. Acesse aqui o cronograma das ações.

Entre outras ações promovidas após a Oficina de Formação de Mobilizadores – realizada em parceria entre o Ministério da Educação e a Seduc de Praia Grande – os mobilizadores da cidade formaram um grupo de trabalho para planejar a divulgação da interação família-escola-comunidade no município.

O grupo tem organizado reuniões que envolvem representantes de instituições religiosas, organizações não governamentais e associações de bairros. Os participantes desses encontros têm sido incentivados a sensibilizar as famílias a respeito da importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos e sobre os reflexos dessa atenção para a melhoria do aproveitamento do ensino.

Duas dessas reuniões ocorreram nos dias 16 e 30 de junho, envolvendo moradores de dois bairros. Em todos os encontros, famílias e lideranças sociais locais têm sido orientadas, ainda, a promover iniciativas que possam colaborar com a melhoria da qualidade do ensino oferecido nas escolas de seus bairros.

Os mobilizadores de Praia Grande também têm buscado apoio da rádio Boa Nova, da Igreja Católica, para divulgar a interação família-escola-comunidade. Pleiteiam, ainda, junto ao governo municipal, a divulgação de frases sobre a tema no contracheque dos servidores.

Leia mais:
Interação família-escola-comunidade é foco das ações de Praia Grande (SP) para o segundo semestre

Com informações de Valkiria Medeiros do Nascimento Oliveira, mobilizadora  e representante da Divisão de Ação Comunitária da Seduc de Praia Grande.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Secretaria de Educação de Capivari de Baixo (SC) intensifica ações de incentivo à interação família-escola

A Secretaria Municipal de Educação (Smed) de Capivari de Baixo, em Santa Catarina, ampliou, no primeiro semestre de 2011, as iniciativas de estímulo à interação família-escola. Além das visitas às famílias dos alunos feitas pelos profissionais da educação e do projeto Escola de Pais, a gestão da educação na cidade tem investido na realização de assembléias nas unidades de ensino para reforçar, junto às famílias dos estudantes, a importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos.

De janeiro a junho, a Smed/Capivari de Baixo promoveu 13 Assembléias em escolas da rede municipal de ensino. Durante essas atividades, que contaram com a participação de mais de dois mil familiares dos alunos, os pais foram orientados pelos professores a refletirem sobre o conteúdo da cartilha Acompanhem a vida escolar de seus filhos.

A segunda edição do projeto de visitas feitas pelos professores às casas dos alunos foi coordenada pela Secretaria de Educação no dia 21 de maio. Mais de 250 professores e representantes de equipes pedagógicas das escolas participaram da atividade que envolveu 968 famílias. A ação teve como objetivo aumentar o conhecimento a respeito da família, da localidade, da comunidade e da realidade em que vivem os alunos. Teve como finalidade, ainda, a reunião de elementos que possam contribuir com a melhoria da aprendizagem, dentre esses, a cultura que influencia no comportamento dos educandos.

Em 2011, o tema que ilustrou a camiseta usada pelos profissionais da educação na campanha foi “Nossa casa é a melhor escola”. A expressão foi escolhida como forma de sensibilizar as famílias para que acompanhem a vida escolar dos seus filhos e para reforçar o papel essencial de pais e mães na motivação e na responsabilidade que possuem.

No mês de abril, a Smed/Capivari de Baixo deu início à etapa 2011 do projeto Escola de Pais, que tem atividades previstas até outubro. A iniciativa envolve reuniões semanais, sempre às quartas-feiras, com as famílias dos estudantes. Os encontros ocorrem simultaneamente em cinco escolas, onde são debatidos, entre outros temas relativos à Educação, o Estatuto da Criança e do Adolescente; a Sexualidade na infância e na adolescência; os Benefícios e riscos da internet; Bullying; e Prevenção ao uso de drogas.

Na forma de rodízio, os palestrantes, que são pais e profissionais de diversas áreas e atuam de maneira voluntária no projeto, percorrem os grupos deixando a sua reflexão e promovendo debates com as famílias.

Leia mais sobre o Projeto Escola de Pais. 
 
Com informações de José Wanderley Araújo Rosa, Secretário Municipal de Educação de Capivari de Baixo e mobilizador social pela Educação.

Parceria com agentes de Saúde fortalece mobilização pela Educação em Presidente Prudente (SP)

Composto por funcionários da secretarias municipais de Educação e de Assistência Social, além de representantes de ONGs, da Pastoral da Educação, de conselhos municipais, de associações de moradores e de instituições religiosas, o Comitê de Mobilização Social pela Educação de Presidente Prudente conta agora também com o apoio de agentes comunitários de Saúde. A integração dos agentes às ações dos mobilizadores foi articulada durante reunião promovida pelo Comitê, no dia 8 de julho, no Centro de Formação Permanente dos Profissionais da Educação (Ceforppe).

Clique na imagem para acessar vídeo com mais fotos do evento
Cerca de 150 agentes comunitários de Saúde das unidades Estratégia de Saúde da Família (ESF) e Vigilância Epidemiológica Municipal (VEM) participaram do evento, que teve como objetivo capacitar os agentes a atuarem como multiplicadores, inserindo a mensagem da cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos em suas atividades.

Para a integrante do Comitê Regina Ferreira Pinhal, a grande participação dos agentes de Saúde no encontro contribui para garantir a continuidade das ações de incentivo à interação família-escola-comunidade no município. “O evento possibilitou aos participantes o esclarecimento quanto à importância da participação da família na escola, para que adotem ações e condutas com o propósito de mobilização em suas visitas às famílias, incluindo em seu trabalho de orientação e a divulgação da mensagem sobre a Mobilização Social pela Educação, incentivando os pais a se envolverem no cotidiano escolar dos filhos”, afirmou a mobilizadora.

Com informações da mobilizadora Solange Jesus e da Secretaria de Comunicação de Presidente Prudente.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Cenpec apresenta resultados de pesquisa sobre alfabetismo e aspirações educacionais dos jovens

Clique na imagem para
fazer o download da pesquisa
O Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec) divulgou, no dia 22 de julho, os resultados da pesquisa “Alfabetismo e aspirações educacionais dos jovens brasileiros nas metrópoles”. A publicação faz parte da série Informe de Pesquisas desenvolvida pelo Cenpec, que tem como objetivo fomentar o debate sobre os temas estudados entre profissionais da educação, gestores, parceiros da instituição e junto a outros pesquisadores.

Por meio da aplicação de questionário e teste cognitivo, o estudo do Cenpec fez um levantamento das habilidades de leitura, escrita e matemática de jovens de nove regiões metropolitanas brasileiras, além da relação dessas habilidades com práticas de letramento, experiências e expectativas educacionais. A investigação foi realizada junto a 1.008 jovens na faixa etária de 15 a 24 anos.

Entre as conclusões, a pesquisa aponta que, apesar de suas deficiências em relação à leitura e à escrita medidas pelo teste, os jovens depositam grandes expectativas em sua formação escolar. Para os pesquisadores do Cenpec, essas expectativas podem ser aproveitadas por políticas educacionais que integrem a formação básica e a profissional, oferecendo, assim, melhores oportunidades aos jovens estudantes brasileiros.

Clique aqui para fazer o download da pesquisa do Cenpec sobre a realidade educacional dos jovens brasileiros nas metrópoles.

BA: voluntários reforçam ações do Comitê de Mobilização de Social pela Educação de Lauro de Freitas

Família de alunos da Escola Municipal Jardim Talismã
O incentivo à interação família-escola-comunidade no município baiano de Lauro de Freitas tem sido conduzido pelo Comitê local de Mobilização Social pela Educação, por meio de várias ações para sensibilizar a sociedade e as famílias sobre a importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos e sobre os reflexos dessa atenção para a melhoria do aproveitamento do ensino.

Liderado pela mobilizadora Maria de Fátima Carvalhal de Matos Assis, que também coordena o Núcleo de Articulação e Mobilização Comunitária NAMC) da Secretaria Municipal de Saúde, o Comitê de Lauro de Freitas teve a adesão, no primeiro semestre de 2011, de duas novas mobilizadoras, Cleide Conceição de Souza e Suzana Reis, que reforçaram as ações desenvolvidas no município e, ainda, na região metropolitana de Salvador.

No mês de abril, por exemplo, Suzana Reis, conduziu a atividade de formação de mobilizadores sociais pela educação direcionada a cinco monitoras da coordenação pedagógica do Programa Mais Educação, que atuam na Escola Municipal Jacira Fernandes Mendes, no bairro de Itinga. A escolha das monitoras para a capacitação ocorreu em função do contato periódico dessas profissionais com a comunidade e as famílias dos alunos da escola.


Durante a formação, as monitoras foram orientadas a promover a interação família-escola-comunidade fazendo uso, entre outros meios, do conteúdo da cartilha Acompanhem a vida escolas dos seus filhos.

Em março, as famílias dos alunos, os professores e funcionários da Escola Municipal Jardim Talismã, outra unidade de ensino do bairro de Itinga, participaram de palestra sobre a Importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos. A atividade também foi organizada pelos membros do Comitê de Mobilização de Lauro de Freitas.

“Para os professores da escola Jardim Talismã, a cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos oferece uma leitura proveitosa e é um importante instrumento para despertar o interesse dos pais em participar da trajetória de estudos dos filhos”, relata Suzana Reis.

O Comitê de Mobilização Social pela Educação de Lauro de Freitas tem agora a seguinte composição:

Maria de Fátima Carvalhal de Matos Assis - f.carvalhal@hotmail.com
Cleide Conceição de Souza - Crezende_ggim@hotmail.com
Suzana Reis - Suzanareis025@gmail.com
Rosângela Neves Santos - rosangelaunica@hotmail.com
Roberto dos Santos Bezerra - Roberto_sb71@hotmail.com
Raimundo Mário dos S. Lemos - raimario@hotmail.com

Com informações de Fátima Carvalhal, do Comitê de de Mobilização Social pela Educação de Lauro de Freitas (BA).

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Participação da família e da comunidade no cotidiano escolar é prioridade dos mobilizadores de Campo Grande

Ampliar a participação das famílias e da comunidade nas decisões pedagógicas e administrativas das instituições de ensino municipais e nas atividades do programa Escola Aberta é um dos principais objetivos do Plano de Ação colocado em prática, em 2011, pelo Comitê de Mobilização Social pela Educação de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul. Por meio de sua atuação, o grupo busca estimular a melhoria da qualidade da educação oferecida nas escolas do município.

O Plano de Ação da Mobilização Social pela Educação desenvolvido em Campo Grande neste ano envolve duas etapas de trabalho. A primeira prevê entre seus objetivos demonstrar aos pais e responsáveis os benefícios que a participação nas atividades do Programa Escola Aberta/Escola Viva oferecem à comunidade; buscar o apoio dos professores de escolas bíblicas dominicais e catequeses no incentivo à interação família-escola; e sensibilizar as famílias para a importância da atenção oferecida ao cotidiando de estudos do aluno.

Para o desenvolvimento dessa etapa, o Comitê de Campo Grande realizou, no mês de abril, a Semana da Família na Escola. Vem promovendo, ainda, palestras direcionadas aos participantes do Programa Escola Aberta, exposições conduzidas por promotores da Infância e Juventude e atividades sociais nos bairros, com foco na valorização da educação para o desenvolvimento do indivíduo.

O fortalecimento dos conselhos escolares da rede municipal de ensino é o objetivo da segunda parte do Plano de Ação. Nesta etapa, os mobilizadores têm buscado facilitar a participação dos segmentos representados nos conselhos nas decisões referentes à organização do trabalho pedagógico e administrativo das instituições de ensino.

Nessa fase, o grupo de mobilizadores tem como meta facilitar o diálogo com os conselheiros da rede municipal a respeito de aspectos pertinentes ao funcionamento da escola, à gestão, às práticas e recursos pedagógicos, à avaliação da aprendizagem, à formação e capacitação de professores e à infraestrutura.

As ações para o alcance dessa meta incluem a implementação das propostas feitas pelos conselheiros escolares, de modo a garantir sua representatividade. Envolvem, também, atividades de formação para os conselheiros; incentivo à integração do trabalho dos conselhos, das associações de pais e mestres (APM) e dos coordenadores do Escola Aberta; e mecanismos de controle da frequência dos alunos para evitar a evasão e a repetência.

Dois novos integrantes passaram a colaborar, neste mês de julho, com as ações do Comitê de Mobilização da capital sul-mato-grossense, que é composto por membros da Secretaria Municipal de Educação (Semed), lideranças religiosas e sociais. O representante do Programa Escola Aberta, Vicente Fernando Demarco Martins, e o representante dos diretores adjuntos, José Augusto da Silva Sobral Filho, estão reforçando as ações desenvolvidas pelo grupo de mobilizadores na rede municipal de ensino, no incentivo à participação das famílias na vida escolar dos filhos e em prol da elevação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Formado em março de 2011, o Comitê de Mobilização Social pela Educação de Campo Grande tem agora a seguinte composição:

* Irmão Silvio Silva - representante da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) - silvioda_silva@yahoo.com.br
* Diana Garcia de Oliveira Contar - representante da Divisão de Gestão da Educação Básica (DIGEB) - diana.contar@gmail.com
* Maria Salete da Silva Floreste - representante da Divisão de Ações Sócioeducativas (DASE) - floreste@terra.com.br
* Maria Ângela de Arruda Fachini - representante da Semed - angelafachini@terra.com.br
* Gandhi Winckler - representante da Escola Aberta - gandhiwinckler@hotmail.com
* Vicente Fernando Demarco Martins – representante da Escola Aberta - vicente.demarco@bol.com.br
* Elenir Márcia Urias de Souza Romão - representante do Programa Bolsa Família na Rede Municipal de Ensino (REME) - elenirmarcia@gmail.com
* José Carlos Pereira - representante do Conselho de Segurança dos Bairros -
pereira.jcarlos@hotmail.com
* Renato Robert Rodrigues - representante da Igreja - renatinhomt3r@hotmail.com
* José Augusto da Silva Sobral Filho – representante dos diretores adjuntos -
augustofisical@gmail.com
* Fabiana Parron Bergamo - representante dos diretores escolares -
faparron@yahoo.com.br

Leia mais sobre a formação do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Campo Grande:

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Mobilização Social pela Educação chega ao Sertão do Pajeú

Gestores educacionais, professores, pais de alunos, representantes de órgãos públicos municipais como o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), de instituições religiosas, associações representativas dos deficientes, associações culturais e grêmio estudantil, além de vereadores e lideranças de diversos segmentos reuniram-se nos dias 11 e 12 de julho,  em Tabira (PE), para discutir estratégias que promovam a interação família-escola-comunidade. A oportunidade foi criada pela Secretaria Municipal de Educação de Tabira, que promoveu, em parceria com o Ministério da Educação e o Conselho Tutelar da cidade, uma Oficina de Formação de  Mobilizadores Sociais pela Educação.

Seguindo orientações dadas pela coordenação do Plano de Mobilização do Ministério da Educação (MEC), tal como ocorrido uma semana antes no Vale do Jiquiriçá, na Bahia, o secretário de educação de Tabira, Gustavo Cesar Barros Amaral, articulou a participação na oficina dos municípios que fazem parte do Vale do Pajeú. Dessa forma, as ações mobilizadoras de escolas, famílias e comunidades devem ocorrer também em Serra Talhada, Solidão, Carnaíba, Itapetim e Ingazeira, que estiveram representadas no evento. A idéia é que, na sequência, esses municípios articulem ações conjuntas, visando a fortalecer o projeto em âmbito regional.  

A abertura dos trabalhos contou com a participação do vice-prefeito da cidade, Joel Mariano de França, e da presidente da Câmara dos Vereadores, Geney Siqueira Brito. Ambos ressaltaram a importância do compromisso social pela melhoria da educação no município, destacando a oportunidade da realização da oficina. Elogiaram também a iniciativa do MEC de provocar a sociedade e os sistemas educacionais a promover uma parceria que vai beneficiar os estudantes brasileiros.

O papel dos conselheiros tutelares de Tabira, em Pernambuco, nas iniciativas voltadas para a  melhoria da qualidade da educação pública local foi ressaltado na abertura dos trabalhos pelo secretário Gustavo Amaral. A articulação dos conselheiros tutelares junto ao governo do município tornou possível a parceria que facilitou a realização da atividade de capacitação. Durante a Oficina, mais de 110 participantes acompanharam as exposições, debateram  as questões sobre como o envolvimento das famílias no cotidiano de estudo dos alunos pode contribuir para a elevação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e, ao final, elaboraram planos de ação específicos para a mobilização de seus públicos de interesse.

Orientações sobre como as famílias, os profissionais da educação e a sociedade podem colaborar com a melhoria da qualidade da educação fizeram parte das discussões orientadas pela coordenadora do projeto do MEC, Linda Goulart. Ela explicou, ainda,  o Plano de Mobilização Social pela Educação (PMSE) e apresentou sugestões para sua aplicação  junto a representantes do poder público e lideranças sociais que podem cooperar com as iniciativas para sensibilizar as famílias para a importância de participarem  na vida escolar dos filhos.

Importância da formação escolar no Sertão do Pajeú


As atividades culturais que fizeram parte da programação da Oficina em Tabira, município do Sertão do Pajéu, evidenciaram o reconhecimento por parte da população local da importância da formação escolar para a evolução do indivíduo e sua capacitação profissional. Considerado berço da poesia na região nordeste, a riqueza cultural do Sertão do Pajeú também foi destacada nas apresentações artísticas, como a declamação de poemas de autores locais e a apresentação de sanfoneiro mirim, que executou músicas regionais que fazem parte do cancioneiro popular brasileiro.
Um momento que provocou grande emoção nos participantes foi a leitura de trechos da cartilha feita por três alunas da educação infantil de uma escola rural. Com cinco anos de idade, elas mostraram que o empenho da escola e da família pode tornar perfeitamente viável a meta de alfabetização de crianças até os oito anos de idade.

Planos de Ação

Como resultado das reflexões feitas durante a Oficina, os mobilizadores de Tabira incluíram em seu Plano de Ação o incentivo ao envolvimento de estudantes do Ensino Médio na Mobilização Social pela Educação. O convite para participação desse público será feito por meio da União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco (UESPE).

Tomando como base a cultura local da poesia, os mobilizadores também programam realizar mesas de glosa, com competições entre pais e alunos e que incluam a temática da interação família-escola-comunidade. O tema também deverá inspirar a elaboração de composições durante as festividades municipais que envolvam cantorias, poetas e prosadores.

A Mobilização Social pela Educação em Tabira prevê, também, a realização de palestras nas escolas; a busca por parcerias com lideranças sociais, comerciantes, empresários e representantes das comissões de Saúde e Educação da Câmara Municipal; a divulgação do tema nos eventos do calendário municipal, em blogs e demais veículos de comunicação; e visitas às famílias de alunos.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

BA: Municípios do Vale do Jiquiriçá articulam Comitês para fortalecer interação família-escola-comunidade

Como resultado das Oficinas de Formação realizadas nos dias 6, 7 e 8 de julho nas cidades de Amargosa, Maracás e Jaguaquara, mobilizadores dos 21 municípios baianos representados nessas atividades deram início às articulações para instituir Comitês de Mobilização Social pela Educação em suas localidades. A criação desses grupos de trabalho, que têm como objetivo reforçar e ampliar as ações de incentivo à interação família-escola-comunidade na região, será tema de debate durante a 11º Reunião do Fórum dos Secretários de Educação dos Municípios do Vale do Jiquiriçá (Educavale), no  dia 28 de julho.

Oficina de Formação de Mobilizadores
em Maracás
Entre os participantes das Oficinas que deverão compor os Comitês de Mobilização das cidades do Vale do Jiquiriçá, estão professores, gestores escolares, coordenadores pedagógicos, além de conselheiros tutelares, lideranças religiosas e representantes do Educavale, importante parceiro das secretarias municipais de Educação na organização dos eventos de formação. Os grupos devem contar com o apoio, ainda, de autoridades locais que estiveram presentes nas Oficinas, como secretários de educação, prefeitos e vereadores.

Participantes da Oficina de Jaguaquara
Com a formação dos Comitês, os mobilizadores terão a oportunidade de aplicar junto à comunidade, de forma mais ampla, as orientações recebidas durante os eventos de formação. Durante as Oficinas, além de receberem informações sobre o Plano de Mobilização Social pela Educação (PMSE) e sobre a realidade educacional do Brasil, os mobilizadores tomaram conhecimento sobre como a colaboração mútua entre escola e família pode melhorar a qualidade do ensino oferecido nas escolas públicas. Para incentivar a participação dos pais no contexto escolar, os mobilizadores foram orientados sobre como superar as barreiras apresentadas tanto pelos profissionais da educação quanto pelos familiares nessa interação.

Secretário de Educação de Amargosa
durante a abertura do evento
Além de propiciarem o debate sobre a importância da interação família-escola-comunidade, as Oficinas também ofereceram espaço para apresentações culturais conduzidas por alunos da rede pública e por artistas locais. Em Maracás, durante as atividades da Oficina, os mobilizadores comemoraram, ainda, as notícias do recebimento de novo mobiliário para as escolas do município e da implantação de duas novas creches do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (ProInfância) nas cidades de Maracás e Planaltino.


Leia mais sobre as Oficinas de Mobilização no Vale do Jiquiriçá e veja mais fotos das atividades nos blogs das secretarias municipais de Educação de Maracás, Planaltino e Jaguaquara.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Interação família-escola-comunidade é foco das ações de Praia Grande (SP) para o segundo semestre

A comunidade envolvida nas ações da instituição Fraternidade Assistencial Paulo Freire (FAPE), localizada na Vila Mirim, em Praia Grande, São Paulo, vai participar, no próximo sábado, 23 de julho, do evento de divulgação local da Mobilização Social pela Educação. A atividade será realizada na própria sede da FAPE e a programação será conduzida pelas mobilizadoras que compõem o grupo de Pedagogas Comunitárias da Secretaria Municipal de Educação (Seduc/Praia Grande).

A atividade do dia 23 faz parte do Plano de Ação elaborado pelos mobilizadores de Praia Grande após participação do grupo, no mês de abril, na Oficina de Formação de Mobilizadores Sociais pela Educação. Esse planejamento de atividades resultou num extenso calendário de eventos definido pelas pedagogas e que prevê reuniões, até o mês de outubro, com o objetivo de incentivar a interação família-escola-comunidade em mais de 20 bairros do município. Acesse aqui o cronograma das ações



Pedagogas da Seduc de Praia Grande
O grupo de 40 Pedagogas Comunitárias foi formado pela Seduc/Praia Grande para desenvolver atividades de estímulo à integração das famílias e da comunidade ao cotidiano das unidades de ensino, de modo que esses atores colaborem com as iniciativas que visem a melhoria da qualidade do ensino. As pedagogas também têm orientado os representantes de diversos segmentos, além das lideranças sociais a sensibilizarem as famílias para a importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos e sobre os reflexos desse comportamento para a melhoria do aproveitamento do ensino. “Nossa meta é realizar reuniões em todos os bairros do entorno de nossas escolas”, afirma a representante da Divisão de Ação Comunitária da Seduc de Praia Grande, Valkiria Medeiros do Nascimento Oliveira.

Além do Plano de Ação com calendário de atividades, outro desdobramento da Oficina de Formação de Mobilizadores foi a abertura da campanha de Mobilização realizada no dia 27 de abril, com mais de 300 participantes. O município também elaborou e reproduziu 12 mil exemplares da cartilha Saiba como participar do dia a dia da escola de seu filho!.

A Seduc de Praia Grande ainda distribuiu, em suas atividades de Mobilização Social pela educação, a cartilha do Ministério da Educação, Acompanhem a vida escolar dos seus filhos. 

Reuniões no bairro Melvi

Mobilização na Ong Água Viva
No bairro de Melvi, as ações de incentivo à Interação família-escola-comunidade vêm sendo organizadas pelo Comitê Mobilização Social pela Educação formado pela comunidade local. O grupo vem realizando suas atividades na sede da Ong Água Viva, onde reúne famílias de alunos de escolas públicas, representantes da Pastoral da Educação e de Unidades de Saúde da Família, além de diretoras de escolas e demais educadores, para estimular a participação da sociedade e dos responsáveis pelos alunos nas ações em prol da melhoria da qualidade da educação.

Com informações de Valkiria Medeiros do Nascimento Oliveira, mobilizadora e representante da Divisão de Ação Comunitária da Seduc de Praia Grande.

Mobilizadores de Lauro de Freitas (BA) reforçam parceria com secretarias de Saúde e Assistência Social

Em parceria com as secretarias municipais de Assistência Social e de Saúde, os mobilizadores de Lauro de Freitas (BA) têm alcançado diversos bairros da cidade com a mensagem da Cartilha Acompanhem a vida escolar dos seus filhos. Durante a Caminhada alusiva ao Dia nacional de enfrentamento à  violência sexual contra a criança e o adolescente, promovida por ambas as secretarias no dia 18 de maio, o Comitê de Lauro de Freitas aproveitou a oportunidade para conversar com a comunidade do bairro Vida Nova sobre a importância da participação dos pais no cotidiano escolar dos alunos.

Para conscientizar a comunidade sobre o conteúdo da Cartilha, as mobilizadoras Rosângela Neves e Cleide Rezende, que também são moradoras do bairro, debateram com as famílias as orientações contidas no material, esclareceram dúvidas e deram sugestões de como os pais podem e devem contribuir para a melhoria do aproveitamento do ensino oferecido nas escolas públicas da cidade. Cerca de 500 exemplares da Cartilha foram distribuídos durante a ação.

Com informações de Fátima Carvalhal, membro do Comitê de Mobilização de Lauro de Freitas (BA).

segunda-feira, 18 de julho de 2011

ArcelorMittal produz e divulga vídeo sobre Ideb e Mobilização Social pela Educação

Clique na imagem para acessar o vídeo
Parceira do Ministério da Educação (MEC) na Mobibilização Social pela Educação, a Fundação ArcelorMittal disponibilizou em portal eletrônico o vídeo de produção própria que incentiva famílias, profissionais da educação, gestores, estudantes e lideranças sociais a participarem de atividades em prol da melhoria da qualidade da educação.

Intitulado Mobilização, o vídeo também destaca a colaboração, os direitos e os deveres da família no processo de ensino e aprendizagem. Reúne, ainda, explicações sobre os papéis dos governos, dos profissionais das escolas, das empresas e da sociedade na melhoria do ensino.

O conteúdo da produção aponta conclusões de pesquisas, feitas no Brasil e no exterior, que demonstram a importância da participação das famílias na vida escolar dos filhos para a melhoria do aprendizado e na formação do indivíduo. Os reflexos da atenção das famílias dos alunos e da mobilização social para a melhoria do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) também são ressaltados no vídeo.

Além de explicar o Ideb, a Fundação ArcelorMittal ainda descreve, na produção, suas iniciativas desenvolvidas com o objetivo de envolver as lideranças locais ligadas à Educação em atividades que busquem alcançar as metas desse índice.

O vídeo foi produzido para reforçar as ações do Projeto Mobilização, lançado em abril de 2011, no município de Cariacica, no Espírito Santo. O projeto é desenvolvido em parceria com a Prefeitura e a Secretaria Municipal de Educação de Cariacica e tem como ponto de partida o Plano de Mobilização Social pela Educação do MEC.

Com duração programada para quatro anos, o projeto deverá beneficiar unidades de ensino de Cariacica com baixo Ideb. O objetivo é fortalecer a relação entre a escola e a família para o enfrentamento de desafios como evasão, baixo aproveitamento do ensino e desinteresse por parte dos alunos.

Clique aqui para assistir ao vídeo Mobilização produzido pela Fundação ArcelorMittal.



Leia mais

Acesse aqui o Relatório de Atividades sobre o Lançamento do Projeto Mobilização em Cariacica.
Lançamento do Projeto Mobilização reúne educadores e famílias em Cariacica
Secretários de Educação do Espírito Santo discutem a Mobilização
Cariacica (ES) lança projeto para melhorar ensino em escolas municipais

Escola de Presidente Prudente (SP) aposta na interação com as famílias para melhoria do ensino

A Escola Municipal Vilma Alvarez, em Presidente Prudente (SP), aponta a participação das famílias no cotidiano escolar dos alunos como fator fundamental para a melhoria do desempenho da instituição no Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp). Os resultados da avaliação foram apresentados no dia 6 de julho, durante reunião semestral realizada com pais de alunos.

Cerca de 160 famílias participaram da atividade, que contou com a presença, ainda, da secretária municipal de Educação de Presidente Prudente, Ondina Barbosa Gerbasi, e da integrante do Comitê local de Mobilização Social pela Educação, Regina Ferreira Pinhal.

A mobilizadora aproveitou a oportunidade para reforçar a conscientização das famílias sobre como o envolvimento dos pais na trajetória escolar dos filhos pode contribuir para um melhor aproveitamento do ensino oferecido nas escolas públicas. Ao fim da reunião, Regina Ferreira destacou o interesse dos familiares nas atividades do encontro. “Além do grande número de famílias, houve boa participação e envolvimento dos pais durante a realização dos trabalhos”, comemora.

Em sua exposição, Ondina Gerbasi parabenizou o trabalho dos gestores e professores da EM Vilma Alvarez e ressaltou o papel das ações de Mobilização na evolução das notas alcançadas pela instituição no Saresp. “O crescimento que os alunos desta escola demonstraram no Saresp se deve ao comprometimento dos educadores, aos projetos inovadores, como a educação integral, e à Mobilização Social pela Educação, que alterou a postura dos pais em relação à sua participação na vida escolar dos alunos”, ponderou a secretária de Educação.

Além da abordagem sobre a importância da interação família-escola-comunidade, o evento de encerramento das atividades do primeiro semestre da EM Vilma Alvarez serviu de espaço para apresentação do balanço das ações coordenadas, no período, pela gestora da unidade de ensino, Marineide Mendes Aragão. O panorama do trabalho desenvolvido na escola foi exposto por meio de fotos de datas comemorativas, além de informações sobre a formação continuada de professores e as palestras direcionadas aos alunos.

Com informações de Solange Ferreira de Jesus, membro do Comitê de Mobilização Social pela Educação de Presidente Prudente (SP).

sexta-feira, 15 de julho de 2011

OCDE lança documentário sobre crescimento do Brasil no PISA

Clique na  imagem acessar o vídeo
A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) lançou documentário sobre o expressivo crescimento dos índices brasileiros no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa). O vídeo Strong Performers and Successful Reformers in Education – Brazil (Desempenho consistente e reformas bem-sucedidas na educação brasileira) traz entrevistas com o ministro da Educação, Fernando Haddad, com especialistas e secretários de educação do país.

Todos traçam o caminho percorrido pelo Brasil até o salto de qualidade no desempenho dos estudantes brasileiros nos testes da OCDE em 2009. Como exemplo, o município de Sobral. A cidade cearense, que apresentava pontuação de 3,2 no índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb) em 2005, chegou a 4,4 em 2009. Ou seja, saiu das últimas posições entre as 27 unidades da Federação para o 14º lugar no ranking do país.

No resultado geral do Pisa de 2009, o Brasil cresceu, sobretudo, em matemática — de 334 pontos em 2000 para 386 em 2009. Em ciências, foi de 375 a 405. Em leitura, de 396 a 412. Com esses resultados, aparece entre os três países que mais evoluíram em educação na década.

O documentário da OCDE mostra iniciativas brasileiras que ganharam destaque no cenário internacional, como a criação da Prova Brasil, em 1995, a criação e a divulgação do Ideb, em 2007, e mecanismos de valorização das escolas, com a ampliação da autonomia daquelas que cumprem ou ultrapassam as metas estabelecidas. As escolas com desempenho insuficiente não sofreram corte de recursos, “para não punir a criança uma segunda vez”, como explica o ministro Fernando Haddad.

“A liberdade que demos às escolas e às redes para construir a própria estratégia transformou o Brasil numa espécie de laboratório de boas práticas”, disse o ministro. “Cada estado procura seu caminho à luz de sua realidade e de sua tradição, mas tendo em vista que o objetivo é nacional.”

Além da valorização das melhores escolas, o ministro lembra que o percentual de investimentos públicos em educação chegou, em 2009, a 5% do PIB do país. “Dobramos, em termos reais, o investimento por aluno na educação básica”, destaca. Haddad lembra, no documentário, que o Plano Nacional de Educação estabelece uma meta de progressão salarial para professores, de forma a alcançar a média dos demais profissionais de nível superior do país.

Superação — A educação brasileira evoluiu 33 pontos nos exames do Pisa realizados entre 2000 e 2009. Foi superado apenas pelo Chile (37 pontos) e por Luxemburgo (38). Em 2000, a média brasileira era de 368 pontos, contra 401 em 2009. Na tabela geral, o Brasil está na 53ª posição, depois de superar Argentina e Colômbia, entre os latino-americanos. Ficou 19 pontos atrás do México (49º), 26 do Uruguai (47º) e 38 atrás do Chile (45º).

Foram avaliados os processos educativos de 65 países, 34 deles da OCDE. Fizeram as provas de leitura, matemática e ciências 20 mil estudantes brasileiros nascidos em 1993.

Clique aqui para assistir ao documentário.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do MEC

Municípios da região metropolitana de Curitiba formam Comitês de Mobilização para melhoria da Educação

Os municípios paranaenses de Pinhais, Almirante Tamandaré e Campo Magro, localizados na região metropolitana da capital, Curitiba, constituíram Comitês de Mobilização Social pela Educação para ampliar e reforçar as ações de incentivo à interação escola-família-comunidade na região. A articulação dos grupos de mobilizadores teve início durante a Oficina de Formação de Mobilizadores realizada em Pinhais, em maio. 

Pinhais

Em Pinhais, os Comitês foram divididos em cinco pólos para atuar em diversos bairros e escolas da cidade. Os grupos contam com o apoio de profissionais da Educação, pais de alunos, empresários locais, vereadores e guardas municipais, além de representantes da Associação de Pais, Mestres e Funcionários (APMF), do Conselho Tutelar, de entidades religiosas, de associações de moradores e de ONGs.

Confira abaixo as escolas, bairros e instituições alcançados em cada pólo de Mobilização em Pinhais:

Pólo 1 - Comitê de Weissópolis: com atuação no bairro de Weissópolis, nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), em escolas municipais e Estaduais, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), na Associação de Moradores e na Associação de Pais, Mestres e Funcionários (APMF), além de igrejas, postos de Saúde e comércio local.

Pólo 2 - Comitê “Unidos pela Educação”: atuará nas Escolas Municipais 31 de março, Odile Charlde, Candido Portinari e Frei Egídio.

Pólo 3 – atuação nas escolas municipais Antônio Andrade, Elis de Fátima Zen e Maria Capellari, além dos centros municipais de Educação Infantil Marcelino Champagnat, Jane Ana, Pequeno Príncipe, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Vó Charlde, Jaqueline e Aprendendo e Crescendo.

Pólo 4 – atuará junto a professores, representantes da APMF, ao Grêmio Estudantil, a diretores, pedagogos, profissionais da Saúde e de ações sociais, comerciantes, entidades religiosas e alunos da EJA.

Pólo 5 - Comitê “Mobilizar para Transformar”: mobilização nas escolas municipais Aroldo de Freitas, Felipe Zeni, Poty Lazarotto, Helena Kolody João Leal e Monteiro Lobato.

Almirante Tamandaré

No município de Almirante Tamandaré, profissionais da Educação se uniram para compor o Comitê que vai promover ações de incentivo à interação família-escola junto à comunidade. Confira abaixo os integrantes do Comitê de Mobilização Social pela Educação local:

Projetos de professores para melhorar o ensino terão prêmio nacional

Estão abertas, até 15 de setembro, as inscrições para o Prêmio Professores do Brasil, promovido pelo Ministério da Educação. A quinta edição vai selecionar até 40 experiências concluídas ou em execução, sendo oito por região do país. Os autores dos trabalhos receberão R$ 5 mil em dinheiro, troféus e certificados.

Para concorrer, os educadores devem relatar projetos desenvolvidos ou em desenvolvimento, com resultados comprovados no ano letivo de 2010, que atendam aos objetivos do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), lançado em 2007.

As experiências, conforme o regulamento da quinta edição do prêmio, devem estar relacionadas a uma ou várias das seguintes ações: promover a permanência, o sucesso escolar, a redução da repetência, do abandono e da evasão de estudantes da educação básica; aumentar a participação da família na escola, a inserção da escola na comunidade, a inclusão educacional social, racial, digital; trabalhar para a formação ética, artística e cidadã dos alunos.

Podem candidatar-se professores da educação básica em exercício da atividade docente em escolas públicas e de instituições educacionais comunitárias, filantrópicas e confessionais conveniadas aos sistemas públicos de ensino.

Leia mais

Fonte: Portal MEC com texto de  Ionice Lorenzoni

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Universitários de Piracicaba (SP) elaboram materiais para divulgar a Mobilização Social pela Educação

Iniciativa integra ações da Parceria Votorantim pela Educação

Alunos do 5º semestre do curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) vêm elaborando materiais, como vídeos, spots e jingles para rádios, com o intuito de divulgar a importância da interação família-escola-comunidade no município paulista. A iniciativa de envolver os universitários na Mobilização Social pela Educação é resultado do acordo de cooperação feito entre o Instituto Votorantim  e a  Faculdade de Comunicação da Unimep.

Apresentação dos trabalhos dos alunos da Unimep
Os trabalhos dos alunos enfocam temas abordados pela Parceria Votorantim pela Educação em suas ações, como a sensibilização de famílias sobre a importância do acompanhamento da vida escolar dos filhos, a conscientização dos alunos sobre o valor da educação, a valorização do professor e o fortalecimento da relação escola-comunidade.

No dia 26 de junho, os materiais elaborados pelos estudantes foram apresentados a uma banca de avaliação, composta por especialistas de diversas áreas e por representantes do Instituto Votorantim, além do secretário municipal de Educação de Piracicaba, Gabriel Ferrato.

Para produzir o material, os alunos visitaram escolas da cidade e tomaram conhecimento sobre a rotina de professores e alunos, o que proporcionou o engajamento dos estudantes com a causa. De acordo com o professor e apresentador do programa Pensando Educação da TV Unimep, Fabiano Pereira, por meio dos trabalhos, os alunos se tornaram também mobilizadores. “Tenho certeza que todos os alunos são agora novos parceiros na mobilização social pela melhoria da qualidade da educação”, afirmou o professor.

De acordo com informações do Blog Educação, da Parceria Votorantim pela Educação, os materiais serão disponibilizados pelos alunos após serem efetuadas as alterações sugeridas pela banca avaliadora.

Leia mais sobre a atividade no Blog Educação.